domingo, 23 de abril de 2017

Pregação que provoca risos e gargalhadas??? Como assim?

Resultado de imagem para gargalhadas

Se a pregação (alguns "pastores" chamam de palestras pra justificar sua performance humorística) que ouviu lhe provocou risos e gargalhadas, e não confronto, choro, quebrantamento e arrependimento, algo está, do ponto de vista bíblico, muito errado com o pregador e diria, contigo também.
Cuidado, não deixe sua igreja se tornar um circo ou uma casa de shows.

Pastor não é artista, muito menos humorista ou comediante.

Pastor ou pregador são pessoas espiritualmente dotadas por Deus para lhe servir o bom alimento (a Palavra de Deus, Bíblia) e não para lhe proporcionar semanalmente momentos de entretenimento. Questione estes conceitos, reavalie sua conduta à luz da Palavra. Passe tudo isso pelo crivo bíblico.
Não permita que o diabo cegue seu entendimento. Seja fiel a Bíblia.
Não ceda aos desejos da carne e ao "evangelho fácil" e a "igreja agradável" (letras minúsculas de propósito).
Por amor a Cristo, retorne ao bom, simples e puro Cristianismo Bíblico.
Ah... como Spurgeon tinha razão.
O que tem hoje de pregadores que amam fazer "palhaçadas" (e amam aparecer na mídia também) ao invés de pregar a Palavra que, se propagada corretamente conforme ensinou e exemplificou Cristo e os apóstolos, incomoda, fere, impacta e requer mudanças objetivas e arrependimento. é uma grandeza.

Chega de palhaços nos púlpitos ! Chega de contador de estorinhas !
Usar uma ilustração aqui e ali tudo bem, mas transformar a explanação e exposição bíblica em show de humor e espetáculo circense é uma aberração e vai contra tudo que as Escrituras nos ensinam sobre a seriedade e responsabilidade deste momento.
Precisamos de homens tementes a Deus que preguem e vivam o Evangelho de Cristo que nunca produziu gargalhadas mas choro, quebrantamento, arrependimento, confissão, perdão e salvação.
Chega de palhaços na Igreja !
A hora e o momento é de chorar, não de rir.
A festa será nos céus, aqui é lugar de trabalho e obediência a Palavra.
Ser chato ou ser omisso?
Mil vezes chato.
Prefiro mil vezes ser considerado fariseu, legalista, radical, fundamentalista, chato ou antiquado, do que ser considerado omisso, covarde e infiel.
Quando se propaga a Palavra de Deus como Ela é e não como muitos desejariam que ela fosse, paga-se um alto preço. A zombaria, a falta de educação, falta de respeito e até mesmo, as ofensas e xingamentos são inevitáveis, principalmente através da internet onde são super corajosos.
Por que isso?
Porque muitos que se dizem cristãos e até frequentam igrejas, na verdade não são cristão autênticos, são simplesmente cristãos nominais, são simpatizantes, que estão em nosso meio mas não são dos nossos. São o joio revelado nas Escrituras. Outros, são crianças "birrentas" que foram mal educadas no que diz respeito ao ensino bíblico.
E assim combatem tudo que vier para tirá-los do "sossego e do conforto" de seus pecados e rebeldias contra Deus e Sua Palavra e aceitam, apoiam e defendem tudo que vier contrariando aquilo que a Palavra ensina e revela. Amam "gracinhas" e piadinhas, detestam a seriedade e urgência das Escrituras. 
Oremos por estes meninos e meninas (bebês espirituais) que caminham (sem perceber) a passos largos para a perdição. Cuidemos desta "creche" que aumenta a cada dia para que encontrem o bom alimento e cresçam e deixem de infantilidades e "meninices".
Deus nos ajude nestas tarefas.

Um comentário:

  1. É, pastor, com certeza vivemos momentos difíceis para ministrar a palavra de Deus em nossas igrejas; lembro que em seu livro "Pregação e Pregadores", Lloyd-Jones já alertava contra aqueles que, em vez de falar sobre sermão no culto, começaram a usar o termo palestra (página 20, 21); conheci um pastor que usava muito este termo, e o ministério dele terminou em muita tristeza...

    ResponderExcluir

Faça seus comentários. Sua opinião é importante. Participe.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...