terça-feira, 29 de março de 2016

Não considere qualquer um, "homem de Deus"


Um termo muito usado pelos crentes de uma forma geral, para designar um pastor ou ministro da Palavra é chama-lo de "homem de Deus. 
E antigamente isso era bem seletivo, ou seja, não era qualquer um que era chamado assim, somente aqueles que realmente possuíam as "credenciais bíblicas" eram assim denominados pelos seus irmãos.
 Entretanto, o conceito de "homem de Deus" tem sido deturpado e muitos equivocadamente denominam pessoas assim, porque simplesmente nunca tiveram a oportunidade de conhecer realmente um homem de Deus. Nunca tiveram um referencial de vida e liderança cristã que pudessem se espelhar. É compreensivo, daí, se espelharem equivocadamente em pessoas que apenas "os usam" para seus interesses pessoais e mesquinhos. Pseudos líderes cristãos.
 E, lamentavelmente, pastores desse tipo formam outros pastores semelhantes. E, a Igreja sofre.
 Mas, eu posso ajudar, quem sabe, a alguns na melhor compreensão do que é ser "um homem de Deus" na concepção bíblica do termo.


 Vejamos quem NÃO pode ou NÃO deve ser chamado de "homem de Deus":

 a) Um crente que provoca ou apoia facções, divisões, contenda ou inimizades entre irmãos não pode ser chamado de "homem de Deus";

 b) Um crente que divide uma igreja para poder "abrir a sua" não pode ser chamado de "homem de Deus";

 c) Um crente que não prioriza o estudo da Palavra de Deus em sua vida e na vida da igreja que "lidera", que vive apenas da superficialidade, da propagação de chavões e de manipulações, não pode ser chamado de "homem de Deus";

 d) Um crente que "lidera" uma igreja, mas tem resistência em divulgar abertamente a seus membros qual é o uso que faz do dinheiro da igreja, não pode ser chamado de "homem de Deus";

 e) Um pseudo líder que consagra ou ordena pessoas ao ministério pastoral apenas para que essas pessoas não saiam da "sua igreja", não pode ser chamado de "homem de Deus";

 f) Um pseudo líder que tem um passado duvidoso, mau testemunho, em igrejas que antes congregou e liderou, não pode ser chamado de "homem de Deus".

E por fim, quais as características de um VERDADEIRO "homem de Deus" diante das situações que eu mencione acima:

 a) Um homem de Deus quando se vê diante da possibilidade de ocorrer facções, divisões, contendas ou inimizades entre irmãos por sua causa, logo procura solucionar essas situações para que isso jamais ocorra, mesmo que para isso tenha que renunciar a seus interesses e planos pessoais ou ministeriais;

 b) Um verdadeiro homem de Deus jamais fundará uma nova igreja com grupos que dividiram outra igreja. Se ele entender que Deus o direciona para iniciar um novo trabalho, sairá sozinho da igreja que congregava e iniciará esse trabalho sem que para isso "carregue" grupos da igreja anterior.
Uma igreja que inicia sua vida originada de uma divisão jamais terá a aprovação e benção de Deus por mais que aparentemente isso ocorra aos olhos humanos;

 c) Um homem de Deus sempre buscará se aperfeiçoar no conhecimento bíblico. Será sempre um estudante da Bíblia e motivará os irmãos aos seus cuidados a estudar e também se aprofundar. O ensino da Palavra, o discipulado, o treinamento e formação de crentes na igreja que pastoreia sempre será o "carro chefe" de seu ministério e não as campanhas, festas, eventos ou coisas desse tipo.
Porque ele sabe que sem conhecimento bíblico tudo que a igreja possa fazer, pode fazer errado e com a motivação equivocada. Sabe da importância do ensino profundo e sistemático da Bíblia pra que todos caminhem na direção certa da vontade de Deus;

 d) Um verdadeiro homem de Deus que está a liderar uma igreja sempre fará da transparência da administração eclesiástica uma de suas características marcantes. Para tanto, não terá dificuldade alguma em administrar e divulgar o uso que é feito do dinheiro das ofertas e dízimos da igreja.
Ele sabe que esse dinheiro não é dele, mas para uso na obra de Deus;

 e) Um homem de Deus de verdade terá cuidado e zelo em impor as mãos sobre alguém para consagra-lo ou ordena-lo ao ministério pastoral. Não fará isso apenas porque aquela pessoa é da "sua turma" ou porque pode perde-la se assim não o fizer. O que leva em consideração para isso é o chamado, a vocação e a preparação para o ministério e não simpatias ou politicagens;

 f) Um homem de Deus de verdade pode ter cometido erros no passado, em outras igrejas que passou ou com pessoas.
Entretanto, ele fará de tudo para consertar esses erros. Procurará resolver os problemas e explicar as situações a todos para que não haja dúvidas sobre sua conduta e postura como crente e como líder cristão. Não fugirá ou se esconderá dessa responsabilidade. Ele sabe que disso depende o futuro de seu ministério diante de Deus.

Percebe quais são as diferenças?

 Portanto, pense bem antes de considerar ou chamar alguém de "homem de Deus".
 Reflita sobre isso.

 Pr. Magdiel G Anselmo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faça seus comentários. Sua opinião é importante. Participe.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...