terça-feira, 19 de maio de 2015

Como identificar uma seita pseudo cristã?


 
A cada dia novas seitas e grupos pseudo cristãos surgem com a intenção de iludir e enganar as pessoas. É relevante que todo cristão entenda esta questão e procure conhecer as artimanhas de satanás que visa roubar, destruir e matar.  Desta forma, resolvi postar este texto que ajuda na identificação de uma seita pseudo cristã. Espero assim auxiliar na reflexão e ação neste contexto mencionado de engano e destruição.
Boa leitura, reflexão, estudo e ação.
 
COMO IDENTIFICAR UMA SEITA
 
O método mais eficiente para se identificar uma seita é conhecer os caminhos seguidos por elas, ou seja, as características que as distinguem das demais, vejamos as principais:

 2.1. O grupo adiciona ou acrescenta algo a Bíblia, ou seja, sua fonte de autoridade não leva em consideração somente a Bíblia.

Por exemplo:

 Adventistas do Sétimo Dia: Seus adeptos têm os escritos de Ellen White como inspirados tanto quanto os livros bíblicos.

Testemunhas de Jeová: Crêem que somente com a mediação do corpo governante (diretoria formada entre nove e quatorze pessoas nos EUA), a Bíblia será entendida, além de a Bíblia ficar em segundo plano nos estudos do grupo, a referência maior são as publicações oficiais, principalmente a revista Sentinela.

Os Mórmons: Crêem que o “Livro de Mórmon” é mais perfeito que a Bíblia, além de outros livros do grupo também serem considerados inspirados.

Os Meninos de Deus (A Família): Asseveram que é melhor ler os ensinamentos de David Berg, seu fundador, do que ler a Bíblia.

A Igreja da Unificação (Rev. Moon): Julga ser seu “Princípio Divino” de inspiração mais elevada do que a Bíblia.

Refutação bíblica: O apóstolo Paulo afirma que as Sagradas Escrituras tornam o homem sábio para a salvação pela fé em Jesus (2 Tim. 3:15). Logo, se alguém ler a Bíblia, descobrirá que nela existem respostas para os dilemas e conflitos da vida, e mais do que isso, respostas que direcionam para a vida eterna. A Bíblia relata a história do Homem desde a antiguidade (sua criação) e mostra como ele caiu no lamaçal do pecado. Não obstante, declara que Deus já havia arquitetado um plano de salvação que se concretizou enviando Seu único Filho para salvar os que cressem Nele.

Assim sendo, lendo a Bíblia, o Homem saberá que está condenado, porque está condenado e que sem Jesus não há salvação (João 1:45; 5:39-46; Lucas 24:27,44; Atos 4:12; 10:43; 16:30; Rom. 10: 9,10). Portanto, não existe nenhum outro livro ou escrito que tenha o mesmo valor e autoridade da Bíblia.

2.2. O grupo tira ou subtrai algo da pessoa de Jesus

Por exemplo:
 
A Maçonaria: Vê Jesus como mais um fundador de religião, ao lado de personagens mitológicas, ocultistas ou religiosas, tais como: Orfeu, Hermes, Trimegisto, Krishna, Maomé, entre outros.

A Legião da Boa Vontade (LBV): Afirma que Jesus possui apenas um corpo aparente ou fluídico, além de negar sua divindade.

Os Kardecistas (Espíritas): Ensinam que Jesus foi apenas um médium de Deus.

Refutação bíblica: A Bíblia ensina que Jesus é Deus (João 1:1; 20:28; Tito 2:13; 1 João 5:20, e outros...). Assim sendo, Jesus não pode ser equiparado ou comparado a seres humanos ou mitológicos, nem mesmo a anjos, que o adoram (Heb. 1:6). A Bíblia atesta tanto a humanidade como a divindade de Jesus (Lc. 2:7, 52; Mat. 4:2; João 19:28; Mat. 11:19; Luc. 7:34; Mat. 8:24; Luc. 22:44; Heb. 7:26; João 5:18; 10:29-33; 1 João 5:20; Luc. 19:10).

 
2.3. O grupo prega a auto-salvação. Crer em Jesus é importante, mas não é tudo. A salvação é pelas obras, e em certos casos, repudiam publicamente o sangue de Jesus.

Por exemplo: 

A Seicho-No-Ie: Nega a eficácia da obra redentora de Jesus e o valor de seu sangue para remissão de pecados, chegando a dizer que se o pecado existisse realmente, nem os budas todos do universo conseguiriam extingui-lo, nem mesmo a cruz de Jesus Cristo conseguiria extingui-lo.

Os Mórmons: Afirmam crer no sacrifício expiatório de Jesus, mas sem o cumprimento das leis estipuladas pelo grupo não haverá salvação.

Os Adventistas do Sétimo Dia: Ensinam que a guarda do sábado implica salvação e que os benefícios da morte de Cristo nos serão aplicados desde que estejamos vivendo em harmonia com a lei, que no caso, é guardar o sábado.

As Testemunhas de Jeová: Ensinam que redenção de Cristo apenas dá a oportunidade para alguém alcançar a sua própria salvação por meio de obras. Jesus simplesmente abriu o caminho, o restante é com o Homem.

Refutação bíblica: A Bíblia declara que todo aquele que nega a existência do pecado está mancomunado com o diabo, o pai da mentira (João 8:44; 1 João 1:8). A eficácia do sangue de Cristo para cancelar os pecados nos é apresentada com a mensagem central bíblica e a base do perdão dos pecados (Ef. 1:7; 1 João 1:7-9; Apoc. 1:5). Já com respeito a salvação pelas nossas obras, as Escrituras são claras em Efésios 2: 8,9. Praticamos boas obras não para sermos salvos, mas porque somos salvos por Cristo Jesus, nosso Senhor. Portanto, as obras são o resultado da salvação, não o seu agente (Heb. 12: 5-11; 1 Cor. 11:31,32; Colos. 2: 14-17; Mat. 11:28-30).

 
2.4. O grupo ensina que não existe salvação fora do sistema religioso da própria organização ou igreja.

Quase todas as seitas pregam e ensinam isso, sobretudo as pseudocristãs, que se apresentam com a restauração do Cristianismo primitivo, que segundo ensinam, sucumbiu à apostasia, afastando-se dos verdadeiros ensinos de Jesus.

Acreditam que, numa determinada data, o movimento surgiu por vontade divina para restaurar o que fora perdido. Daí a ênfase na exclusividade.

Outras, pregam que todas as religiões são boas, e que somente são responsáveis por unir todas as demais. Afirmam que esse é o propósito de Deus e foram criados para esse cumprimento.

Refutação bíblica: O ladrão arrependido ao de Jesus na cruz entrou no Céu (paraíso) sem ser membro de nenhuma seita ou mesmo grupo religioso (Luc. 33:43), pois o pecador é salvo quando reconhece que é pecador e se arrepende (Luc. 13:3) e reconhece a Jesus como seu único e suficiente Salvador (Atos 16: 30,31). Desse modo, ensinar que uma organização religiosa pode salvar é pregar “outro evangelho” (2 Cor. 11:4; Gál. 1:8). Isso implica dividir a fidelidade a Deus com a fidelidade à organização e tira de Jesus a sua exclusividade de conduzir-nos ao Pai (João 14:6). Não há salvação sem Jesus (Atos 4:12; 1 Cor. 3:11).

 
2.5. O grupo possui falsas profecias.

Exs:

Os Adventistas, os Testemunhas de Jeová, os Mórmons e outros já proclamaram o fim do mundo para datas específicas, e obviamente nunca acertaram.

Refutação bíblica: A Bíblia nos adverte contra os que marcam datas para eventos como fechamento da porta da graça, a vinda de Jesus, o fim do mundo, etc... (Deut. 18: 20-22; Mat. 24:23; Ezeq. 13: 1-8; Jer. 14:14).
 
 
 CONSIDERAÇÕES FINAIS
 
 Diante do quadro que vivemos todo cuidado é pouco. Por isso a importância de estar alerta sobre esta questão das seitas. Aqui, sem dúvida, o ditado popular:  "as aparências enganam", deve ser aplicado.
 Deus abençoe a todos na tarefa sublime de proclamar a Palavra de Deus e na missão, sempre atual, de advertir contra as falsas doutrinas, falsos mestres e falsas igrejas.
 
Pr. Magdiel G Anselmo.
 
 
 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faça seus comentários. Sua opinião é importante. Participe.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...