quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014

Questões acerca do "batismo com Espírito Santo" parte final.

     

Concluindo essa série "questões acerca do batismo com Espírito Santo", é importante recapitular o que foi exposto.

Primeiro, foi trabalhado o equívoco terminológico, ou seja, o termo, ou se preferir, a nomenclatura, "batismo" usado por alguns, principalmente pelos então denominados "pentecostais", para essa experiência com Espírito Santo. 


Segundo, foi abordado e comentado os textos comumente usados para confirmar o "batismo com Espírito Santo" como uma experiência única e posterior a salvação, evidenciado por falar noutras línguas, bem como, a necessidade da busca por ela em nossos dias da forma como ocorreu naqueles dias. 

Sendo assim, diferentemente de uma obrigatoriedade da busca por esse "batismo", aprende-se que a "promessa" ou "batismo" do Espírito, é um generoso dom inicial que Deus nos dá quando nos toma para sermos Seu povo. O perdão e o dom do Espírito são verso e anverso da salvação ampla que Cristo nos dá. Nunca devemos deixar de agradecer a Deus com admiração renovada diariamente pelo fato de que Ele, em seu amor, primeiro deu Seu Filho para morrer por nós, e depois deu Seu Espírito para viver em nós. Hoje não há mais templo em Jerusalém para onde precisamos ir a fim de nos encontrarmos com Deus; cada um de nós é templo de Deus, bem como a igreja local, porque Deus mora em nós através do Seu Espírito.

Terceiro, aqui o objetivo foi comentar e fundamentar biblicamente a questão das experiências pessoais dos cristãos com o Espírito Santo, enfatizando que experiências pessoais por mais que sejam impactantes e abençoadoras, não podem ser "padrão" para todos os demais (caso do então denominado "batismo do Espírito Santo" no entendimento pentecostal), ao contrário são experiências distintas de cristãos para cristãos e não podem e não devem, por isso, se tornar doutrina ou criar obrigatoriedade a partir delas, como é a atitude correta em relação ao caso dos textos normativos das e nas Escrituras. 


Quarto, foi alvo de minha pesquisa e estudo, a diferença ou diferenças entre batismo e plenitude do Espirito, sendo que aqui se buscou esclarecer o uso correto da terminologia bíblica para "ser cheio" ou, "o enchimento do Espírito" confrontando com o equívoco já exposto anteriormente na primeira parte da série. Aprende-se aqui que precisamos buscar cada vez mais a plenitude do Espírito, através de arrependimento, fé e obediência e, também, continuar semeando no Espírito, de modo que seu fruto cresça e amadureça em nosso caráter. Eu creio que devemos criar o hábito de orar para que cada dia Deus nos encha de Seu Espírito (ato constante, contínuo) e faça aparecer o Fruto do Espírito mais em nossa vida.


Conclusão

Dessa forma, óbviamente, não se encerra o assunto ou muito menos se tratou aqui de todas as questões referentes a ele. Apenas alguns pontos que considero mais relevantes foram abordados e aqui estudados.

A intenção foi, como já mencionei em outras postagens, de aprofundar a análise e entendimento dessas questões e motivar um estudo mais detalhado. O estudo bíblico, a correta interpretação bíblica são, sem dúvida, ferramentas indispensáveis a todo cristão que deseja conhecer mais a Palavra de Deus em todos os seus desígnios. 
Não houve de minha parte nenhum ataque a pessoas ou instituições, apenas a conclusão de minhas pesquisas e estudos dos aspectos e questões abordadas sobre o assunto.

Espero ter contribuído de alguma forma para um aprofundamento dessas questões, para uma melhor análise, reflexão e mais claro entendimento.

Mesmo entendendo que para se compreender coisas espirituais (e é o que se trata aqui), precisamos da iluminação do Espírito Santo, sem a qual não temos condições ou capacidade para discernir tais coisas, penso que o confronto honesto e humilde de nossas convicções com outras diferentes e muitas vezes, discordantes, faz-nos reavaliar nossas concepções e nos tornam aquilo que Deus idealizou ao nos criar, seres pensantes. E, sem dúvida, se o caro leitor, é um filho de Deus, salvo e remido por Cristo, o Espírito habita em vós e pode iluminá-lo para um maior conhecimento e discernimento acerca Dele.
Esse é o meu desejo e oração, findando aqui meu trabalho. 
Também nesse ponto, o querer e o realizar são atos exclusivos de Deus.

Deus abençoe a todos.


Pr. Magdiel G Anselmo. 



Se desejar entender ainda melhor os diversos aspectos da série, acrescento 02 vídeos a seguir que podem esclarecer ainda mais as questões abordadas e trabalhadas. Assista. Recomendo.









Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faça seus comentários. Sua opinião é importante. Participe.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...