quarta-feira, 8 de janeiro de 2014

O Batismo Cristão


O passo seguinte após ter crido em Jesus Cristo é ser batizado.
O batismo cristão deve fazer parte da vida da Igreja. Igreja que não faz batismos regularmente está com sérios problemas. O novo nascimento deve ser seguido do batismo. Se não há batismos, não houve novos nascidos. Isso é grave para uma Igreja Cristã.
Entretanto, alguns aspectos deste ato ou rito devem ser explicados para que todo aquele que estiver para ser batizado saiba e entenda o significado, o sentido, a finalidade, quem deve ser batizado, o modo e qual a fórmula utilizada e porque.

1. O significado ou sentido do Batismo Cristão:

O batismo cristão não tem poder em si mesmo para salvar ninguém, porém as pessoas devem ser batizadas não para serem salvas, mas porque já o são (Ef. 2:8), em cumprimento da justiça (Mat. 3:1 –5) e em obediência ao Senhor Jesus (Mat. 28:1-9 / Marc. 16:16). O batismo demonstra o testemunho do crente em sua identificação com a morte e ressurreição de Jesus. Ele simboliza a morte, sepultamento e ressurreição do Filho de Deus.
Sendo assim, o batismo é o ato por meio do qual o crente publicamente simboliza a sua confissão da fé em Cristo e se identifica com Sua igreja. É uma ordenança ou rito confiada a guarda da igreja e a ser administrada por sua autoridade, por isso deve ser ministrada por uma pessoa crente, também batizada e autorizada pela igreja.
O batismo é, portanto, uma proclamação poderosa da verdade do que Cristo fez, é uma “palavra em forma de água”, confirmando a participação do crente na morte e ressurreição de Cristo. É mais um símbolo que um mero sinal, pois é um quadro vivo da verdade que transmite.
O que precisa ficar bem claro é que o batismo não é fundamental e muito menos necessário para a salvação de qualquer pessoa, porém faz parte da vida de quem já é salvo. Um crente que não deseja ser batizado e como um namorado que não deseja se casar com sua namorada. Das duas uma, ou não ama a namorada como diz amar, ou simplesmente é um enganador, fingindo ser quem não é.
O batismo nas águas deve ser o passo seguinte após a conversão, mas não faz parte da conversão, faz parte da vida cristã.

2. A Forma ou Modo do Batismo Cristão

A forma adotada pela maioria das igrejas evangélicas e/ou protestantes é a imersão, sendo o corpo totalmente imerso nas águas batismais. Seguindo o exemplo do Senhor Jesus quem irá batizar e quem irá ser batizado devem descer ou entrar nas águas (Atos 8:38; João 3:23; Mat. 3:16).
Algumas igrejas evangélicas e/ou protestantes adotam a forma da aspersão, que nada mais é que derramar ou aspergir água sobre a cabeça daquele que irá ser batizado.
Não há biblicamente uma orientação minuciosa ou precisa quanto à imersão ou aspersão, e não vou entrar aqui nessa discussão. Nas duas formas existem defensores que se fundamentam na Palavra de Deus. O equilíbrio aqui é a melhor atitude. Quando a Bíblia não é clara e contundente sobre algo, não devemos nós o ser.
O que importa realmente é o que significa e pra qual finalidade e não o modo ou forma em si (estou me referindo as duas formas que já mencionei). A Imersão ou aspersão são formas que não transgridem a Palavra e portanto, devem ser respeitadas e aceitas por todos os cristãos.
Cada grupo ou denominação pode se posicionar e realizar seus batismos em uma das formas, sem contudo, desrespeitar os que realizam também seus batismos usando a outra forma ou modo.
O rebatismo usado por algumas denominações é inaceitável nesse caso. Somente se batiza alguém "novamente" quando reconhecidamente aquela pessoa veio e foi batizada em uma seita ou religião não cristã, jamais quando veio de outra denominação, seja qual for a linha teológica que seguia naquele momento (pentecostal, tradicional ou reformada) ou se o modo é diferente da comumente usada ali (me refiro aqui novamente as duas formas já mencionadas).

3. Quem Deve Ser Batizado

Só existe uma regra, condição ou critério para alguém ser batizado. Esta pessoa tem que ser salva, ou seja, o batismo é para quem, pela obra poderosa e milagrosa de convencimento do Espírito Santo, se arrependeu dos seus pecados, creu e confessou Jesus Cristo como seu único e suficiente Salvador (Atos 8:37; Atos 2:38; Atos 22:16). Portanto, quem é salvo deve dar o passo seguinte que é o batismo.
É inaceitável não batizar um crente porque este não é casado legalmente quando quem não deseja legalizar a condição de casado é o companheiro ou companheira não crente. Nesses casos, quando reconhecidamente a pessoa crente deseja regularizar sua situação mas a outra não permite, deve-se batizar pois essa regularização não depende do crente mas sim do ímpio. Privar um irmão ou irmã do batismo nesses casos é não compreender a situação e castigar quem não comete infração alguma. 
Cada caso portanto, deve ser analisado com cuidado e zelo e não com superficialidade, caprichos, vaidades ou tradicionalismos denominacionais.

4. A Fórmula do Batismo

O batismo assim como Jesus ordenou, deve ser em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo (A Trindade).

Considerações finais

Muitas igrejas matriculam os candidatos ao batismo em estudos bíblicos ou cursos para que entendam o que expus antes de ser batizados. É muito saudável e sábio esse procedimento.
Ensinar sobre o batismo aos seus futuros membros é uma obrigação da Igreja.

AUXÍLIO AO ESTUDO

Texto para meditação: Mateus 28:1-9 e Marcos 16:16

Pr. Magdiel G Anselmo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faça seus comentários. Sua opinião é importante. Participe.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...