sexta-feira, 22 de novembro de 2013

TODOS os crentes DEVERIAM estudar Teologia

Muitos pensam assim como eu, mas poucos tem coragem de afirmar essa verdade pela internet, amedrontados com os que têm e vêem a teologia ainda com aquela visão antiga e equivocada de "coisa do diabo" ou "coisa de fariseu", ou ainda de gente que não tem o que fazer, ou ainda, de gente "fria", "sem unção" ou "sem experiência com o Espírito Santo".
Sem contar a opinião dos crentes preguiçosos que pensam que Deus fará por eles o que é trabalho deles. É gente que não gosta de esforço, trabalho e dedicação.
Sinceramente, eu não tenho nenhum receio ou medo dessas opiniões descabidas ou da ira dos insensatos e infantis em afirmar o que aqui afirmo.
Por que?
Porque primeiro, sei o que escrevo e que possuo apoio e respaldo bíblico, segundo, sei o que é teologia, terceiro, sei que sempre existirão os que resistem ao estudo mais aprofundado da Bíblia. A própria Bíblia nos revela que sempre existirão os que amam muito mais as fábulas, os sonhos, as suas paixões e que se opõem firmemente a todo tipo de autoridade e ensino  (a carta de Judas revela as características, postura e marcas dessas pessoas), do que uma análise bíblica mais apurada e detalhada da vida, da interpretação bíblica, das coisas de Deus, da Igreja, etc...
Ao contrário, esses sonhadores alucinados procuram sempre para si mestres ímpios que concordem com essa conduta e postura nada cristã que assumem.
O que faz então a boa teologia cristã diante dessa realidade?
Ora, ela aprofunda e mergulha o crente nesse conhecimento, que penso, sem ele, fica-se no que é básico e muitas vezes, e em muito casos, no que é superficial e pouco edificante. Quarto, o que aqui aconselho, faço pessoalmente com afinco, dedicação e abnegação, e quinto e finalmente, conheço o Deus que sirvo e, repito, conheço as orientações de Sua palavra com relação ao que aqui escrevo.
Dito isso, prossigamos...
Graças a Deus, existem, ainda, algumas Escolas Bíblicas que em seu currículo aplicam cursos básicos de teologia (os membros muitas vezes nem sabem que estão estudando teologia) e que ajudam e muito, os crentes a crescer e produzir frutos para a Glória de Deus, mas lamentavelmente, a maioria das igrejas tem uma Escola Bíblica muito fraca (quando tem), com crentes despreparados e sem conhecimento (e que são os professores), discípulos de seus pastores que seguem na mesma linha e que ao invés de ensinar o povo de Deus, acabam por prejudicar o crescimento desses irmãos, inclusive ensinando heresias.
Muitas vezes, lamentavelmente, as editoras ditas evangélicas que produzem as tais revistas de escolas bíblicas, se preocupam muito mais com o lado comercial do que o espiritual. Se preocupam muito mais em defender suas denominações do que com o crescimento cristão de seus membros.
Por isso, afirmo que a cada dia que passa mais eu me convenço que todos os cristãos DEVERIAM  em certo momento da vida fazer um bom curso de teologia para aprofundar seus conhecimentos acerca de Deus e não apenas os líderes ou aqueles que desejam ou almejam o pastorado, que deveriam ,obrigatoriamente, ter ou buscar uma formação teológica razoável. Se o líder não conhece a Bíblia, imagina os liderados.
E não apenas digo isso porque sou diretor de um escola teológica que disponibiliza cursos pagos e tenho interesse financeiro nisso (até porque também ofereço pessoalmente cursos teológicos gratuitos via net e na igreja que pastoreio a anos  e muitos de meus amigos aqui na net podem confirmar isso e também não estou muito preocupado com gente maledicente que não consegue discernir coisas boas de coisas ruins e que em tudo vê maldade e por isso vive sempre em conflitos espirituais. Quem realmente me conhece, sabe quem sou e o que faço para Glória de Deus), mas porque o desconhecimento e a ignorância com relação a aquilo que realmente a Bíblia afirma é cada dia mais gritante.
Muitas pessoas não tem a menor preocupação com a interpretação bíblica, exegese, história da Igreja, homilética, educação cristã, etc... e saem propagando opiniões e comentários sem nenhuma base, fundamento ou apoio bíblico. É impressionante. Chega a ser assustador.
Por isso, lhe aconselho caro irmão e irmã em Cristo, a se aprofundar na Palavra. Não espere sua igreja ou seu líder lhe encaminhar ou lhe aconselhar a estudar a Bíblia, tome você essa decisão e procure uma instituição confiável. Procure uma boa escola teológica, um seminário, uma faculdade... vá atrás, se perceber que seu pastor ou líder valoriza e entende isso, fale com ele, peça indicações, se dedique, invista em seu crescimento cristão.
Não siga a turba que é levada por emoções e pressões e propagam tudo que acham "bonito" ou "bem escrito" pela net ou em literaturas que nada ensinam de útil (palha). 
Cuidado com o que compartilha nas redes sociais, cuidado com versões bíblicas nada fiéis aos textos originais que somente trazem sentidos e significados estranhos às Escrituras. 
Cuidado com "homens de Deus" que “amam”, “adoram” mesmo é criar polêmicas e discussões pela net e não estão desejosos de edificar ou de abençoar vidas. Cuidado com os tais "profetas de ocasião" que se arrogam no direito de trazer "novas revelações" e os "curandeiros de plantão" que me parecem mais treinados em "centros espíritas" do que em instituições cristãs. 
Cuidado com os falsos mestres que ensinam sem a responsabilidade de acompanhar ou discipular os que são “ensinados”. Que ensinam suas opiniões e divagações como se fossem ou estivessem no mesmo nível da autoridade bíblica. Cuidado com os adeptos do liberalismo que de teológico nada tem, cuidado com os que não se sujeitam a ser ensinados, fogem das salas de aula, fogem das EBD's, fogem dos cultos de oração, fogem do estudo bíblico... mas sempre desejam ensinar, ministrar, formar grupos de estudo onde ELES serão os professores, mestres... sendo que nunca, jamais se submeteram a ser alunos, aprendizes... fuja deles, corra pra longe destes.
Cuidado, muito cuidado... Você colherá em sua vida as suas atuais precipitações e incoerências.
Seja ponderado, equilibrado, e acima de tudo, bíblico.
Mas pra isso precisará estudar, se esforçar, renunciar muitas vezes ao descanso para estudar, fazer um trabalho, ir a um seminário, faculdade, etc... Faz parte.
Vá estudar para ser "bom de Bíblia", para saber o que fala ou escreve sobre as coisas de Deus. Para servir melhor a Deus e a Igreja de Deus.
A oração correta e bíblica, aliada a esse estudo constante, profundo e sistemático da Bíblia, fará de você um melhor cristão, irmão, líder e filho de Deus.
Não concorda comigo?
Então, prepare-se para sofrimentos que não precisaria passar se não fosse tão teimoso e negligente com a Palavra de Deus.
Minha oração e desejo é que Deus o ilumine para entender a Verdade Bíblica.

"Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção, para a educação na justiça, a fim de que o homem de Deus seja perfeito e perfeitamente habilitado para TODA boa obra." 2 Timóteo 3: 16,17.


Pr. Magdiel G Anselmo.


domingo, 3 de novembro de 2013

O QUE É UM "REFORMADO"?


Ainda aproveitando o aniversário da Reforma...

O crescimento do interesse pela fé reformada em todo o mundo é um fato que tem sido notado aqui e ali pelos estudiosos de religião. Crescem em toda a parte a publicação de literatura reformada, o ingresso de estudantes em seminários e instituições reformadas, a realização de eventos, o surgimento de novas igrejas e instituições de ensino reformadas e o número de pessoas que se dizem reformadas, especialmente oriundas de denominações pentecostais.

Como se trata de um rótulo, é preciso definir “reformado.” Por “reformado” entendo aquele que adere a uma das grandes confissões reformadas produzidas logo após a Reforma protestante no século XVI, aos cinco grandes pontos dessa Reforma, que são Sola Scriptura, Sola Gratia, Sola Fides, Solus Christus e Soli Deo Gloria e aos chamados “Cinco Pontos do Calvinismo,” resumidos no acrônimo TULIP (Depravação total, Eleição incondicional, Expiação limitada, Graça irresistível e Perseverança final).

A Reforma produziu movimentos associados aos seus grandes líderes, os quais concordariam substancialmente entre si quanto aos “solas” e o TULIP, mas que divergiram em outros pontos. Refiro-me a luteranos, zuinglianos e calvinistas. Com o passar do tempo, o nome “reformado” foi se associando mais e mais aos calvinistas, de maneira que, de maneira genérica, os termos “reformado” e “calvinista” são usados hoje como similares.

Existe, todavia, um grande número de igrejas que são da "tradição reformada" mas que já não creem de maneira ortodoxa quanto a estas doutrinas. Geralmente essas igrejas não estão experimentando esse crescimento, mas um esvaziamento, como a Igreja Presbiteriana dos Estados Unidos e outras denominações historicamente ligadas à Reforma, mas que já não professam seus postulados. Por outro lado, da África, Coréia, China, Indonésia, por exemplo, chegam relatórios do florescimento calvinista. É claro que o calvinismo acaba recebendo diferentes interpretações e expressões em tantas culturas variadas, mas os pontos centrais estão lá.

Isso não quer dizer que os reformados são muito numerosos, comparados com pentecostais e arminianos, por exemplo. O que eu quero dizer é que os relativamente poucos reformados têm experimentado um crescimento que já chama a atenção de muitas denominações e tem provocado alertas da parte de seus líderes.

A ressurgência calvinista nos Estados Unidos não está ocorrendo somente entre os Batistas, mas entre muitas outras denominações. Um dos motores é o ministério de pastores reformados populares, como John Piper, R. C. Sproul, Mark Driscoll, J. C. Mahaney, Paul Washer , Tim Keller, Kevin DeYoung e John MacArthur, entre outros. Os eventos promovidos por eles recebem milhares de pastores de todas as denominações e seus livros são traduzidos em dezenas de línguas, inclusive em português. No Brasil temos quase todos os títulos destes autores.

Mas, o interesse maior na fé reformada no Brasil parece ser da parte dos pentecostais. Cresce a presença de pastores e líderes pentecostais nos grandes eventos reformados no Brasil. Cresce também o número de pentecostais que estão adquirindo literatura reformada. E cresce o número de igrejas pentecostais independentes que estão nascendo já com uma teologia influenciada pelo calvinismo. Algumas denominações pentecostais também vêm recebendo a influência calvinista a passos largos.

O ministério de editoras que publicam material reformado, como a Editora Cultura Cristã, a Fiel e a Publicações Evangélicas Selecionadas, por exemplo, tem servido para colocar as obras de reformados brasileiros e internacionais nas mãos dos evangélicos brasileiros ávidos por uma teologia consistente, e cansados dos excessos do neopentecostalismo e da aridez do liberalismo teológico.

Não tenho uma explicação definitiva para esse fenômeno do retorno da TULIP. No mínimo, é curioso que uma fé tão perseguida e odiada como o calvinismo, de repente, passe a ter mais aceitação. Poucos, na história da Igreja, foram tão mal entendidos, distorcidos, vilipendiados, odiados e amaldiçoados quanto João Calvino. Chamado de tirano, déspota, incendiário de hereges, frio, duro, determinista, criador do capitalismo selvagem, Calvino tem sofrido mil mortes nas mãos de seus detratores, os quais, na maioria das vezes, nunca leram sequer uma de suas obras, e que formaram sua opinião lendo obras de críticos.

Somente espero que, à medida que o movimento cresce no Brasil, os reformados aprendam a reter o que é essencial e bíblico na Reforma, sem tornar em matéria de fé aquilo que pertenceu a séculos passados em outras culturas, como, infelizmente, já tem acontecido no Brasil com alguns grupos. Que eles lembrem que a fé bíblica, que é a fé da Reforma, também pode se expressar dentro da rica e variada cultura brasileira.

 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...