sexta-feira, 6 de dezembro de 2013

Uma visão otimista da Igreja

Há momentos em nossas vidas que são inesquecíveis. Momentos que marcam nossa história e trajetória nesse mundo.
Quando chegamos a certa idade e podemos fazer uma retrospectiva de vida, encontramos esses momentos pontuais e ao lembrarmos parece que os vivenciamos novamente. São emoções, realizações e acontecimentos que estão ainda muito vivos em nossa mente.
Como cristão, um dos momentos mais marcantes de nossa vida é aquele em que, movidos pelo Espírito Santo, nos encontramos com Cristo. É tão marcante e importante que o resultado desse encontro durará pela eternidade.
Ainda, o momento de nosso batismo nas águas também se trata de uma lembrança que nos traz grande satisfação, pois foi a confirmação de que o encontro com Cristo foi real e que entendemos a sua importância e necessidade.
Se você é casado há algum tempo e tem filhos, o namoro, noivado, casamento e o nascimento dos filhos fazem parte desse grupo de momentos que lembramos com muito carinho e alegria.
Lembra o dia em que conheceu, sua hoje, esposa ou, seu hoje, marido? Eu lembro bem. Foi em um acampamento de jovens patrocinado pela igreja que ela congregava. Quantos olhares, quantas conversas sem muito sentido. Havia uma emoção diferente que nos constrangia. Havia algo no ar que nos fascinava. Namoramos e noivamos na igreja e sempre buscamos juntos a presença e a direção de Deus. Tínhamos um pastor que nos ajudava e aconselhava. Foram bons momentos. Momentos de busca pela vontade de Deus. Éramos muito novos, mas já sabíamos o que queríamos. Queríamos alegrar a Deus e entender o que Ele tinha pra nós.
Estávamos sempre nas reuniões dos jovens, não importa se eram de louvor, estudo ou oração. Lá estávamos juntos e sempre com muita alegria. Guardamos bons momentos dessas ocasiões e lembramos com saudades de muitos jovens e adolescentes desse grupo, que hoje estão casados e foram direcionados e movidos por Deus para outros locais e ministérios, assim como nós.
Enfim, descobrimos a vontade de Deus pra nós...
E o casamento? Lembra o dia do seu casamento, o nervoso que se encontrava, a ansiedade por tudo dar certo? Lembra a igreja cheia com seus convidados, parentes, amigos e irmãos em Cristo? Lembra o “friozinho na barriga” antes da cerimônia? Quanta emoção, quanta adrenalina, quanta alegria...
E a festa? Quanta gente, quantos irmãos... Todos desejando bênçãos e mais bênçãos...
E o dia do nascimento dos filhos? Meu Deus, o que foi aquilo? Que sentimento foi aquele? Como pode uma pessoa nascer tão bonitinha? Quantas lágrimas de alegria, quanta satisfação, quanto amor.
E o dia em que foram dedicados ao Senhor na igreja? A família toda feliz. O neném ainda dormindo nos braços do pastor durante a oração em que os apresentava e suplicava as bênçãos de Deus a criança e a família. Quanta felicidade no ar. A igreja toda cantando “Vinde meninos, vinde a Jesus...” e as rosas presenteadas a mãe que chorava de alegria. 
E as crianças cresceram. Freqüentaram a igreja. Um dia, sem percebermos, após uma pregação, alcançados pela Graça de Deus, saíram de seus lugares e foram à frente chorando e confessando Jesus como Senhor e Salvador de suas vidas. Meu Deus! Parecia que éramos nós ali na frente. Chorávamos mais que eles. Quanta gratidão a Deus. Quantos “obrigados” falamos a Deus naquele dia. Nossos filhinhos, um adolescente e a menina pré-adolescente, tinham sido salvos. É a coroação de nosso trabalho como pais. Era tudo que sempre rogamos ao Senhor.
E o dia do batismo do nossos filhos? Tive a honra dada por Deus de poder batizá-los. Meus braços tremiam de emoção. Minha voz ao declarar as palavras próprias para o momento estava embargada pela alegria da ocasião. Quando nosso menino e a menina saíram das águas, dei um brado de Aleluia, que sei, ecoou nos céus.
Aguardamos o momento de nossa filhinha caçula também passar pela águas. Ela ainda é pequenina, mas já estamos ansiosos. Deus será novamente exaltado em nossa família.
Existem outros momentos também inesquecíveis.
As reuniões e cultos na igreja. Os momentos de adoração congregacional onde percebemos nitidamente a presença e o mover do Espírito Santo. A pregação que sempre nos alimenta com o bom alimento de Deus.
Quantas vezes nesses anos todos, discernimos que Deus está a nos falar em um louvor? Quantas vezes somos quebrantados e não conseguimos suportar e choramos como crianças enquanto a igreja louva a Deus? Quantas vezes entendemos que Deus fala conosco em particular em uma pregação, mesmo quando estamos juntos com centenas de pessoas ali no templo? Quantas vezes fomos e somos abençoados por Deus em um estudo bíblico, em uma EBD, ou em uma reunião de oração da igreja?
Nesse tempo todo, quantas vezes constatamos que fomos usados por Deus para ensinar ou pregar e vimos claramente o mover de Deus nas pessoas, na congregação enquanto ministrávamos a Palavra? Em quantas situações fomos instrumentos da benção de Deus para a vida de outros irmãos quando utilizamos os dons e os talentos que Deus nos deu? Muitas vezes.
E quando vemos pessoas que oramos tanto e falamos do amor de Jesus, sendo convertidas pelo Senhor e entregando-se a Ele e passando a servi-lo ali conosco? Quando observamos que crescem espiritualmente e que produzem frutos para a glória de Deus? Quanta alegria e sentimento de vitória.
E quando vemos as famílias sendo restauradas, casamentos restaurados, vícios abandonados e nova vida se descortinando aos nossos olhos? É uma satisfação sem medida. É o sentimento do trabalho cumprido e do reconhecimento do poder e da intervenção direta de Deus. Como é bom presenciar isso na igreja. Vidas em Cristo que produzem vidas em Cristo no caminhar de uma igreja.
E quando ensinava teologia nas diversas oportunidades que Deus me proporcionou, seja como aluno, na direção ou na docência, em seminários, escolas teológicas ou universidades e ensinando também aprendia com seminaristas que amavam a Deus e desejavam servi-lo com todas as forças. Quanto compartilhar pude desfrutar dessas aulas com tantos irmãos e irmãs vocacionados para o trabalho na obra de Deus. Quanto prazer em ajuda-los a obter conhecimento e referenciais santos para seus futuros ministérios.
Entretanto, ainda existiram aqueles momentos em que estávamos tristes e abatidos, situações de sofrimento e angústia e um irmão ou irmã veio até nós e com um abraço sincero, um sorriso e uma palavra de amor e carinho nos animaram e nos fizeram entender que Deus continuava a nos amar. Mais que irmãos, em muitos momentos descobrimos que temos amigos na "nossa" igreja (e também em outras igrejas) que nos amam e que se preocupam sinceramente conosco. Lembro com carinho ocasiões em que irmãos nos ajudaram em várias áreas e que não pediram nada em troca. Lembro com muito amor e gratidão...
Mas, existem ainda outros inesquecíveis. Muitos outros... Você deve lembrar de muitos em sua vida.
Existem momentos inesquecíveis que são tristes e que não gostamos de lembrar. Claro que existem. Mas, penso que os bons sobrepujam os ruins. Os bons devem ser lembrados, enaltecidos, os ruins esquecidos e deixados pra trás.
Enfim, observe que a maioria dos momentos que mencionei estão intrinsecamente ligados a minha vida e de minha família em uma igreja evangélica. Penso que muitos, como eu, também possuem trajetória similar a minha. 
Afinal de contas, congregar em uma igreja ou comunidade evangélica ou protestante é algo que sempre fez parte da vida dos crentes de uma forma geral.
Devemos lembrar desses momentos de alegria. Não com apenas nostalgia, mas com vívida certeza que eles se repetem na grande maioria das igrejas evangélicas.
Existem maus exemplos e fatos que não favorecem essa minha concepção, porém não representam a maioria dos crentes fiéis a Palavra de Deus que congregam em igrejas espalhadas por esse nosso país e pelo mundo afora.
Lembremos dos bons momentos. Propaguemos as virtudes e qualidades da igreja e não os fracassos e problemas. Usemos todos os meios para disseminar o nome e o Evangelho de Cristo e não as polêmicas e discussões que nada produzem de edificação.
Sem menosprezar ou desprezar a existência das heresias e dos pseudos grupos e crentes, tenhamos sempre uma visão de enaltecer as coisas boas e não de gerar um falso sentimento de que tudo está perdido e que o propósito de Deus com relação a sua Igreja de forma organizada aqui nesse mundo tenha sido um fracasso. Não podemos generalizar os erros e os equívocos ocorridos. 
Não podemos e não devemos desconstruir o que o Espírito Santo construiu desde a Igreja Primitiva.
Não devemos confundir ainda mais a mente daqueles que estão feridos e confusos com relação a irmandade cristã. Não devemos ajudá-los a se afastar do convívio com seus irmãos.
Não esqueça que o joio crescerá junto com o trigo. A Bíblia afirma que muitos esfriarão, porém não todos. Tem gente boa ainda, tem crente fiel, tem igreja séria. Não se afaste. Permaneça, persevere, comungue, compartilhe, edifique, congregue...  
Mesmo entendendo que a apologética (defesa da fé cristã) é útil e necessária, não devemos esquecer que deve ser exercida e fundamentada criteriosamente nas orientações de Deus para tal. Mesmo o melhor remédio quando utilizado na dose e no tempo errados pode causar enfermidades ainda mais graves e em alguns casos até a morte do paciente.
Louvo a Deus pela Igreja Organismo e também pela Igreja Organização. As duas que no final das contas são a mesma, nasceram no propósito de Deus ao enviar e direcionar seus filhos para a adoração, evangelismo e serviço cristão.
Faça uma retrospectiva em sua vida e veja honestamente como existem muitos bons momentos passados na igreja. Não os despreze. Se vão sobrepujar os ruins, dependerá de sua visão das coisas.
Prefiro ser e ver como Josué e Calebe. Há muitos gigantes, há inimigos, há dificuldades e problemas. 
Porém, existe uma terra que mana leite e mel. 
Existe a benção de Deus.
Tudo depende de como olha, de como vê, de como crê.

A igreja ainda é o melhor lugar para você e eu estarmos aqui nesse mundo!

Em Cristo,
Pr. Magdiel G Anselmo.


2 comentários:

  1. Amado pastor, tão bom ler essa postagem e constatar o amor, que reside no seu coração por sua família, bem como pela igreja. Muito me alegrei e me emocionei ao ler sobre seu filhos: nascimento, apresentação e batismo. Sei também, que o seu regozijo há de ser grande, quando seus "meninos" subirem ao altar com seus cônjuges. Parabéns pelo discernimento e pelo trabalho feito na seara do Mestre. Que Deus continue abençoando,fortalecendo e lhe dando sabedoria para guiar o rebanho Dele até aquele glorioso dia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pela visita e pelas palavras edificantes. Deus abençoe sua vida e família querido irmão lui.

      Excluir

Faça seus comentários. Sua opinião é importante. Participe.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...