quarta-feira, 25 de setembro de 2013

A Igreja não é perfeita. Avise isso para os maledicentes e fofoqueiros.

Desde os primórdios, a Igreja sofre muitas perseguições externas e precisamos estar atentos aos ataques de satanás contra a família de Deus. Vemos isso hoje no exemplo da Igreja Perseguida que tanto precisa de nossas orações e ações objetivas.
Já sofremos perseguições e ataques no decorrer da história, dos mais variados e tipos, mas a Igreja continua, prossegue em seu caminho e missão de pregar o Evangelho a toda criatura. Deus está conosco. Aleluia. 
Entretanto, os problemas internos, em meu entendimento, são ainda mais implacáveis e destrutivos. Nos preparamos para os ataques externos, mas nem sempre nos preparamos para os internos. E quando digo internos, me refiro aos problemas e dificuldades que toda igreja local passa e vivencia.
São muitos os problemas que podem surgir na vida da igreja, por exemplo, problemas administrativos, metodológicos, etc..., problemas espirituais, pecados escondidos..., problemas de visão por parte da liderança, problemas de rebeldias, divisões, etc...
Entretanto, em minha opinião, um dos piores males internos que existem e sempre surgem nas igrejas são os maledicentes. Os famosos fofoqueiros e fuxiqueiros. Esses são os grandes e poderosos instrumentos usados para destruir irmandades, minar ministérios e abalar relacionamentos em nossas igrejas cristãs.
Me refiro objetivamente àqueles que amam falar mal da igreja local, dos irmãos, do pastor, etc... a lista é grande. Já faziam isso antes da internet, agora então com advento da grande rede mundial, fazem isso descaradamente e sem pudor para o mundo todo ver e ler.
É lamentável e inadmissível.
E no campo real  e virtual não se contentam em contaminar os demais irmãos da igreja que congregam (porque maledicência é um enfermidade contagiosa), mas também saem a maldizer aos que estão fora, a irmãos de outras igrejas e até a ímpios.
Propagam assuntos internos e que deveriam ser restritos à igreja local aos quatro cantos.
E fazem isso sem demonstrar nenhum temor ou respeito pela igreja ou pelas demais pessoas que congregam com eles.
É um câncer que precisa ser extirpado do seio da igreja.
É uma enfermidade que precisa ser tratada com um tratamento drástico, pois pode contaminar toda a igreja e destruir ministérios e vidas.
Essas pessoas, mesmo muitas sendo crentes (em muitos casos são líderes nas igrejas), são usadas por satanás para desestabilizar igrejas, desmotivar lideranças e ferir irmãos. São pessoas instáveis, falsas, invejosas, ignorantes espiritualmente e desequilibradas emocionalmente.
Não é à toa que a Bíblia registra tantos textos advertindo contra a maledicência ou o falar mal entre irmãos. É um mal que precisa ser retirado do arraial do povo de Deus.
E como essas pessoas trabalham?
Geralmente, as pessoas quando desejam não falar bem da igreja, justificam dizendo assim: "Sei que a igreja não é perfeita, mas blá blá blá...", ou então: "sei que o pastor não é perfeito, mas blá blá blá..." Ora, com esses argumentos confirmam que não entenderam o que significa "a igreja não é perfeita ou o pastor não é perfeito".  Demonstram que não tem a menor idéia do que significam os conceitos de perfeição e imperfeição. 
Meu caro amigo e irmão, SEMPRE existirá uma justificativa ou desculpa para se afastar da igreja que congrega. Se afastar é muito fácil e cômodo. Fugir nem sempre é a melhor opção.
Eu quero ver é você continuar congregando lá, mesmo com todos os problemas e imperfeições trabalhando e servindo a Deus e a seus irmãos buscando sanar as lacunas, ajudar e apoiar seus líderes e minimizar as dificuldades que tanto censura e critica. Aí sim confirmará que entende que a igreja ou seu pastor não são perfeitos. Isso sim é coisa de crente maduro e que conhece a Palavra.
E, deixa eu dizer mais uma verdade: "VOCÊ também não é perfeito. VOCÊ está cheio de defeitos, imperfeições e limitações como todos nós. Quando falamos muito, criticando, reclamando e murmurando não nos sobra tempo e "ouvidos" para ouvir o que os demais pensam sobre nós. Ouvir é tão ou mais importante que o falar.
E, só mais uma coisa, quando reclamamos da igreja que congregamos, na verdade reclamamos de nós mesmos. Afinal de contas, a igreja é formada por pessoas, ou não é? Fazemos parte ou não disso? Das duas uma, ou somos responsáveis ou somos omissos com relação aos problemas na igreja que congregamos. A não ser que você seja um daqueles que não participa ou se compromete com nada em sua igreja, aí devo concordar que realmente não tem nada com isso, afinal, você NUNCA fez parte mesmo da igreja que diz congregar. Essa são verdades que muitos não querem ouvir ou ler, mas precisam.
Quando reclamamos do pastor que temos, reclamamos do agir de Deus, pois na verdade é Ele que escolhe os que trabalharão como pastores de Seu rebanho e não a igreja que ele irá pastorear, ou não acredita nisso? Se não acredita que Deus é quem escolhe os homens e mulheres que irão liderar Seu povo, então deve rever o seu Cristianismo. E estou me referindo a pastores, a homens de Deus, não a farsantes ou oportunistas. Existem homens e mulheres responsáveis e comprometidos com a Palavra que foram chamados, vocacionados e capacitados por Deus para pastorear. São desses que estou falando, você deve saber distingui-los. Mas se pensa que igreja é quem escolhe seu pastor e até o "retira" como alguns equivocadamente imaginam, talvez não seja o Cristianismo que siga, talvez seja Antropocentrismo ou Egocentrismo, quem sabe...
Reveja suas reais intenções motivações. Será que quando critica seu pastor, não o faz porque na verdade VOCÊ é que desejava estar no lugar dele? Será que não é inveja o sentimento que o motiva a ser esse ferrenho opositor de seu líder? Pense nisso com honestidade.
Se contudo, depois de uma auto análise sincera, ainda assim, não ficar satisfeito e feliz em congregar onde está, se não concorda com seu pastor e está a ponto de desrespeita-lo ou de se rebelar, por favor, para seu próprio bem, procure outra igreja para você (não fique sem congregar) mas não saia por aí maldizendo sua igreja ou seu pastor. Não seja ingrato. Não cuspa no prato que comeu tanto tempo. Seja cristão, perdoe as imperfeições de seus irmãos, se é que deseja ser perdoado pelo reto Juiz naquele dia, e siga seu caminho sem se tornar um maledicente, ingrato ou rebelde.
 
Leia Provérbios. É um ótimo livro para reger nossa conduta, postura e comportamento. Lá encontrará muitos textos referentes a fofocas, maledicência, rebeldia, submissão, respeito às autoridades instituídas por Deus, a importância de ouvir, o perigo da soberba, orgulho, inveja, etc...
Entretanto não é só em Provérbios que encontrará orientações sobre esse péssimo comportamento de falar mal dos outros. Em toda a Bíblia encontrará textos quanto a isso. Onde estão? Ora, procure!
À partir de Provérbios, com uma boa concordância bíblica encontrará textos paralelos sobre o que aqui escrevo. Não vou pescar pra você. Já estou lhe dando a vara e a isca, pesque você mesmo! Será um bom exercício pra você.
Leia a Bíblia não apenas como um livro, mas como O LIVRO. Não apenas para saber, mas para ser transformado pelo que ali está revelado. Pratique a Bíblia.
Mude de atitudes com relação a igreja e as suas lideranças ou colha os frutos desses seus equívocos.
E somente para encerrar três observações são relevantes quanto a esse tema:
 
1. Se você não é maledicente, fofoqueiro, fuxiqueiro, mas tem um amigo ou irmão que vive a maldizer outros irmãos, a igreja, o pastor, etc... fuja dele, pois quem fala mal de alguém a você, certamente irá falar mal de você a outros.
 
2. Se você é maledicente, fofoqueiro, fuxiqueiro saiba que as pessoas que ouvem suas reclamações não formam um bom conceito a teu respeito, do contrário, tem uma péssima impressão de seu caráter e índole. Portanto, se deseja que as pessoas o respeitem, confiem em você ou que tenha credibilidade, mude de comportamento já. Há ainda tempo para arrependimento, confissão, perdão e transformação. Mas, não demore, Jesus está voltando.
 
3. Caro pastor, procure conhecer as pessoas antes de encarrega-las de alguma posição de liderança na igreja. E acompanhe de perto as que estão ocupando esses cargos e posições de liderança na igreja que pastoreia. Visite-os, converse com eles. Saiba o que pensam sobre Deus, sobre a igreja, sobre a sua pessoa, sobre a visão que tem para seu ministério, sobre os demais irmãos, etc... Analise a vida dessas pessoas e se elas tem condições e cumprem os requisitos bíblicos básicos para posições de liderança cristã.  Veja se concordam com as doutrinas cridas pela igreja. Veja se não são maledicentes, fofoqueiros. Veja se pode confiar nelas. Se não fizer isso, correrá o risco de, muito provavelmente, ter surpresas desagradáveis em seu ministério e colherá muitas decepções (além daquelas já inevitáveis).
 
 
A Igreja não é perfeita.
Entretanto, mesmo com suas imperfeições devemos sempre buscar de todo o nosso coração que o ambiente da igreja local onde congregamos seja de paz, amor e respeito.
Isso depende de nós. Isso ocorrera à partir de cada um de nós.
 
Uma boa reflexão para todos quanto a esse tema é um bom conselho e orientação.
 
Deus os abençoe.
 
 
Pr. Magdiel G Anselmo.
 
 

3 comentários:

  1. Excelente reflexão. As pessoas ,na maior parte das vezes, que mais criticam, são aquelas que mais estão desocupadas.São os crentes de banco .Muitos tem esse vício como prazer. Esquecem-se de que vício nenhum é bom e que esse pode levar ao inferno, assim como tantos outros.Graça e Paz ,pastor Magdiel.

    ResponderExcluir
  2. Tem toda razão. Obrigado pelos comentários, Deus o abençoe lui.

    ResponderExcluir
  3. EU acabei saindo de uma casa de oracao porque a lider comentava o que confessavamos pra ela. Era VC virar as costas ela falava de um, qndo vc nao estava por perto falava de vc. Gerou confusao e contenda em familias e amigos..
    Sai fora, e fui p outro lugar onde podia confiar..

    ResponderExcluir

Faça seus comentários. Sua opinião é importante. Participe.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...