segunda-feira, 19 de agosto de 2013

Mordomia das Palavras


Deus coloca a nossa disposição uma grande variedade de poderosos e valiosos instrumentos e bens, dentre os quais estão as nossas palavras, ou seja, aquilo que falamos.
Como todo e qualquer outro bem, precisamos administrar nossas palavras com muita sabedoria, sabendo que seu uso errado traz consequências terrivelmente danosas, ao passo que seu uso de forma sábia e criteriosa produz e resulta em bênçãos imensas.



Além disso, a Bíblia deixa bem claro que um dia haveremos de prestar contas do uso que fizermos das palavras (Mat. 12:36).
Aprendamos um pouco mais sobre isso a seguir:
1. O Poder das Palavras
  a) As palavras podem curar ou matar:

“A língua serena é árvore de vida, mas a perversa quebranta o espírito”. (Prov. 15:4)
“A morte e a vida estão no poder da língua e aqueles que a amam comerão do seu fruto” (Prov. 18:21)
Estes, entre tantos outros, ressaltam a profundidade e os efeitos decisivos que as palavras exercem sobre as pessoas a quem elas são dirigidas.
As suas palavras podem ser fonte de benção para as pessoas, mas também podem ser a causa de muitas feridas e mágoas.
Você pode curar vidas com suas palavras, mas também pode matar outras.
Por isso, esse tema é tão relevante para a Igreja de Cristo.
Veja mais:

b) Objetividade:

Quando lemos na Bíblia sobre o poder das palavras e seus efeitos nas pessoas que as ouvem, ela não está tratando de poderes mágicos conforme afirmam alguns.
Trata sim, dos efeitos objetivos e práticos causados pelas palavras, dependendo de quem as pronuncia, do seu conteúdo, das circunstâncias e do modo como eles são pronunciadas.
Não é, portanto um poder místico, mágico ou sobrenatural, nem tão pouco as palavras trazem à realidade coisas que não existem, porém, podem causar feridas tão profundas e produzir tanto sofrimento e angústia em alguém que isso pode levar esta pessoa a ficar enferma emocional e fisicamente e em casos extremos levar até a morte.
Vejamos a seguir exemplos de mau uso das palavras:
2. Uso inadequado ou o mau uso das palavras
a) A Maledicência
A maledicência e a murmuração têm basicamente o mesmo sentido, refletindo uma atitude egoísta e um coração nada agradecido. O maldizente, ou murmurador sempre vê tudo muito ruim ao redor, principalmente no que diz respeito às outras pessoas.
As Escrituras tratam a maledicência e a murmuração com muita severidade (Ex.15:24; 16:2; Prov. 18:8; 26:20; Tg. 4: 11,12). Fica bastante claro que toda maledicência e murmuração são dirigidas contra Deus, pois é como se Ele não estivesse cuidando bem, daquilo que é sua responsabilidade cuidar.
 b) A Fofoca ou o mexerico
Pode ser definido também como intriga. Como tantos outros casos de mau uso das palavras têm a conotação de uma doença contagiosa, a qual se propaga sutilmente, mas de modo incontrolável e devastador, deixando um rastro de ruínas.
Veja o que os textos bíblicos a seguir dizem a respeito do mexerico ou fofoca: Lv. 19:6; Prov. 11:13; 26:28; 26: 20-22.
A calúnia, a contenda, a difamação e as discórdias constituem ao mesmo tempo, o pano de fundo, o solo e o fruto do mexerico ou fofoca.

3. Uso adequado ou o Bom uso das palavras
a) Escolha as palavras (Efésios 4:29).
Mesmo a verdade deve ser falada com as palavras certas ou adequadas e nunca deve ser dita movida apenas por emoções como a ira, raiva, ressentimentos, amarguras, etc...
b) Escolha o momento certo para falar (1 Coríntios 3:1, 2).
Seja sábio, há momentos e situações corretas de se falar uma verdade. Discirna quais são estes, para não ser inconveniente ou mal educado.
  
c) Escolha o modo certo de falar (Colos. 4:6).
Palavras equilibradas, temperadas e pensadas alcançam bons resultados. Palavras ríspidas, cruéis e sem ponderações machucam e não surtirão o efeito desejado, ou seja, mudanças de atitude ou compreensão de quem as escuta. Seja sábio, não prejudique mais ainda a situação com palavras inadequadas.

Conclusão

Muitos relacionamentos nos mais variados níveis – família, trabalho, ministério, etc..., foram arruinados por causa do mau uso das palavras.
A boa reputação e o futuro profissional e, inclusive, a fé de pessoas às vezes são postos em risco devido à falta de critério e ao uso precipitado e sem reflexão das palavras.
Por outro lado, podemos render graças a Deus, pois muitas vidas e muitos relacionamentos foram restaurados, quando se usou bem, este poderoso instrumento que são as palavras.
Observe que até um remédio usado na dose e horas erradas pode matar o doente ao invés de curá-lo.
E não esqueça que naquele dia prestaremos contas ao Senhor do uso que fizemos de nossas palavras. Portanto, use bem suas palavras, pense bem antes de falar.
Fale somente no momento certo e com as palavras adequadas. Sempre busque a benção das pessoas com suas palavras.
Deus lhe deu a capacidade extraordinária de pensar, de refletir... e mais, se é um filho de Deus, salvo por e através de Cristo Jesus, Deus lhe deu o livre acesso à Sua presença, então, fale com Deus e peça a Ele sabedoria ao falar com as pessoas. Ele dá sabedoria a todo aquele que pede gratuitamente. Faça isso.
Use este privilégio para a Glória de Deus.
Seja um bom mordomo de suas palavras.
Pr. Magdiel G Anselmo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faça seus comentários. Sua opinião é importante. Participe.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...