quinta-feira, 4 de julho de 2013

A História de Um Milagre

Certo jovem decidiu deixar a casa dos seus pais buscando descobrir e conhecer a vida. Queria ser "dono de seu nariz", não ter que dar satisfações a ninguém. Queria ser "livre".
Filho de pais crentes, odiava as cobranças para ir a igreja e as constantes consultas ao que estava fazendo. Já tinha idade pra cuidar de si e não precisa ter que suportar tais "problemas".
Abandonou então seu lar e pôs-se a fazer tudo aquilo que sempre desejou fazer mas não podia. Foi morar sozinho, viajou, conheceu muita gente, namorou muito, experimentou prazeres e sensações que nunca imaginou que existiam...
Andou por aí à fora...
 
Entretanto, depois de uma "boa" fase descobriu que a vida também é dura e difícil e requer responsabilidade de todos. Devido a suas "bagunças" acabou por perder o emprego que lhe dava sustentação para suas andanças e noitadas. Sem o dinheiro mensal teve que deixar o apartamento que morava e morar em seu carro. Por pouco tempo, pois logo teve que vender seu carro para comer. Ficou um tempo dormindo na casa da namorada, mas essa também o deixou pois não desejava ficar com alguém que não tinha objetivo na vida.
O grande castelo ruiu do dia pra noite...
Já não tinha ninguém e tornou-se morador de rua... comia restos dos lixos de restaurantes e bares... tomava banho na chuva e dormia cercado por vira-latas que eram mais limpos que ele próprio...
Já não tinha forças para reagir... lembrava então das palavras de seu pai quando via qual seria o destino do filho rebelde e sem juízo:
"- Se continuar assim o seu fim ou será o presídio ou o cemitério!"
Já concordava com aquela sentença. E desejava que isso ocorresse logo.
Numa madrugada fria de inverno, sentado em um banco de praça, tentando dormir a custa de "cachaça" ... lembrou que existia um Deus que ele pensava conhecer desde a infância... Não tinha coragem de orar, tinha vergonha... mas soluçando de frio e de arrependimento disse baixinho:
- Senhor me perdoe por tudo que fiz e ando fazendo. Não sei o que dizer. Mas, estou apenas esperando a morte. Mas antes quero lhe fazer duas perguntas: Será que por causa do que fiz, o Senhor me abandonou? Será que ainda sou teu filho? E chorando deitou naquele banco gelado e dormiu...
Mas, então depois de ser preso por tentar dormir em um pequeno hotel sem pagar, ligou para seu antigo pastor e pediu socorro.
Prontamente foi atendido e passou a dormir num gabinete pastoral improvisado, pois era um templo que estava sendo construído ainda.
Ali tinha responsabilidades todos os dias, ou seja, tinha que abrir o portão da igreja para os pedreiros entrarem para trabalhar as 6 horas da manhã. Todos os dias... ele não gostava disso... reclamava sozinho, mas obedecia pois não tinha pra onde ir...
Também tinha que frequentar os cultos... coisa que também não o agradava, mas o que mais lhe importunava é que todos os dias juntamente com os pedreiros entrava também um "irmão" que antes de ir ao trabalho orava pelo menos 01 hora num cantinho do templo. Como o gabinete pastoral era em um pavimento superior mas aberto, o som mesmo que longe o incomodava, pois tentava voltar a dormir até por volta das 8 horas da manhã.
Aquele irmão orava alto, gritava... ele não entendia bem o que falava, e resmungava, praguejava:  - Deve ser um idiota! Pra que vir aqui todo dia orar! Pra que gritar ! É um chato !
O tempo passou...
Esse jovem começou a ser trabalhado e quebrantado por Deus nas ministrações nos cultos que frequentava (mesmo obrigado). Deus começou a falar com ele poderosamente.
Logo, havia se reconciliado com o Senhor, retornado à casa dos pais e restabelecido seu relacionamento familiar. E ele não sabia que em poucos anos Deus lhe daria uma esposa e uma família linda e mais, lhe chamaria e vocacionaria para Sua obra. 
Mas, essa é outra parte da história. Retornemos ao que estávamos contando. 
Ali naquela igreja congregava regularmente e com os anos tornou-se o líder dos jovens e adolescentes e logo professor de EBD. Estava muito satisfeito e agradecido com o que Deus fez e fazia em sua vida. Todos viam o milagre de Deus naquela vida.
Um dia, depois de terminar um culto ele foi cumprimentado por aquele irmão que orava logo cedo quando ele ainda estava "morando" no gabinete pastoral. O irmão então disse que gostaria de conversar com ele em particular. Ele concordou e então logo o irmão disse:
- Muito tempo atrás, desde que você estava alojado aqui na igreja eu tenho que lhe dizer uma coisa.
Ele então disse que o irmão podia ter a liberdade pra falar. O irmão então falou:
- Quando você estava alojado aqui eu vinha orar todos os dias bem cedo.
E Ele afirmou:
- Sim, eu lembro bem.
- E o irmão sabe por que?
Ele disse que não sabia, imaginava que gostava de orar cedo e que em sua casa não tinha aquela liberdade. Mas, logo foi interrompido:
- Não, não foi por isso. Posso orar em minha casa, não tenho esse problema lá. Eu orava todos os dias aqui na igreja porque eu havia feito um compromisso com o Senhor e somente iria parar de fazer isso quando Deus me respondesse. E, então perguntou:
- Você sabe qual era esse compromisso que fiz com Deus?
O jovem respondeu: - Não.
- O compromisso com Deus era orar por você. Para que Deus restaurasse sua vida e não permitisse que se perdesse. Orava por você meu irmão todos os dias.
O rapaz então ficou sem ação, e o irmão continuou:
- E tem mais, em um desses dias que eu intercedia por você, veio uma frase em minha mente que eu não sabia o porquê e nem se era algo pra que eu lhe falasse. Não entendia o motivo ou significado... Por muito tempo, desde esse dia, eu guardei essa frase em minha mente pensando ser algo de Deus pra mim, mas hoje no culto, eu entendi que não era pra mim. A frase era pra você e penso que deva ser pra você algum tipo de resposta, não sei bem... espero que saiba.
O rapaz então rapidamente disse que ele lhe dissesse que frase era. Então ele falou:
- A frase que veio em minha mente em um daqueles dias que eu orava é a seguinte:
"A primeira resposta é Não, não o abandonei. A segunda resposta é SIM, você é meu filho e eu te amo."
Naquele momento o rapaz lembrou daquela pequena oração as 3 horas de um fria madrugada em um banco de praça.
Ele entendeu de uma vez por todas que Deus o amava e que nunca o havia abandonado. E ainda naquela época cuidava para que ele fosse restaurado.
E como naquela madrugada chorou abundantemente, mas agora o banco gelado não o esperava mais...quem o consolou foi o abraço amoroso daquele irmão que orou por ele sem ele saber... e que mesmo sem entender o que estava acontecendo o acolhia com amor e carinho.
Hoje, depois de quase 30 anos esse rapaz escreve esse texto e ainda chora, mas não chora de tristeza ou de espanto, chora de alegria ao lembrar e saber que Deus o amou e continua amando-o. Chora porque a Graça de Deus e o Seu amor é inexplicável e infinito e que cuida, protege e guia Seus filhos, mesmo quando esses se rebelam contra a Sua vontade. Ele os traz de volta com suas poderosas mãos e os acolhe e protege.
Portanto, se continuou lendo esse meu testemunho até aqui, saiba que Deus o ama e fará de tudo para lhe mostrar que deseja que Sua vida esteja alinhada com os planos que tem pra sua vida.
Se está desanimado, saiba que Deus pode lhe fortalecer. Se está aflito, Deus tem poder para renovas as suas esperanças. Se está ferido, Deus  pode curar as feridas da sua alma. Se está com medo, Deus é sua fortaleza e proteção. Se não sabes o que fazer, Deus pode lhe dar e mostrar a direção a seguir. Se se sente indigno pelos pecados que tem cometido, Deus pode lhe perdoar e restaurar sua vida e dignidade.
Retorne aos braços do Senhor. Retorne urgente a vida que Deus tem pra você.
Não perca seu tempo como perdi o meu em minha juventude...
Aprenda hoje o que aprendi a muitos anos:
Ele continua lhe amando. Ele jamais abandona um de Seus filhos.
 
Louvado, adorado e exaltado seja Deus.
Mestre por excelência em restaurar vidas, inclusive a minha.
 
Pr. Magdiel G Anselmo.
 
 
 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faça seus comentários. Sua opinião é importante. Participe.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...