sexta-feira, 11 de janeiro de 2013

A Postura da Família Pastoral


Esposa e filhos podem prejudicar o ministério pastoral?
O pastor e sua família (esposa e filhos) são pessoas que estão em evidência a todo instante e são convidados para eventos, cerimônias e ocasiões festivas, além de fazer da visitação aos membros uma rotina.
Para tanto o pastor e sua família devem saber se portar e se comportar diante de várias situações, para que a autoridade pastoral não seja comprometida, contestada e consequentemente, envergonhado seja seu ministério.



Algumas atividades comuns e cotidianas à família pastoral:

• Ouvir e aconselhar pessoas (o pastor aconselha e em certos casos a sua esposa);
• Visitar pessoas (a sós ou com a esposa);
• Receber visitas em sua casa;
• Ser convidado para almoçar ou jantar em casa de irmãos ou amigos;
• Convidar colegas, irmãos ou amigos para almoçar ou jantar em sua casa;
• Ser convidado para pregar ou palestrar em outras igrejas, instituições ou ainda em cerimônias de formatura, colação de grau, reuniões familiares, etc...
Para que o pastor e sua família causem boa impressão e sejam respeitados por todos (crentes e não crentes) seguem abaixo algumas recomendações e sugestões que deveriam, em meu entender,  pautar a postura do pastor e família frente a esses compromissos religiosos, sociais e ministeriais que são do dia-a-dia no pastorado.
1. O pastor e sua esposa devem aprender a ouvir as pessoas e depois aconselhar se necessário e solicitado (repito, aconselhar se solicitado). Devem aprender a conversar sem usar gírias, palavras inconvenientes, etc.
2. O pastor e esposa não devem comentar com outros assuntos particulares do casal, muito menos falar sobre algo pessoal do(a) outro(a) para alguém sem este ser consultado(a) primeiro. Ex: salário do marido, quanto pagam de aluguel, quanto estão devendo, se a mulher ronca ou não arruma a casa direito, comparar filho com filho, vida sexual e outros absurdos.
3. Assuntos delicados devem ser evitados a todo custo. A menos que a(s) pessoa(s) envolvidas diretamente peçam aconselhamento ou orientação espiritual. Do contrário não seja inconveniente ou mal educado. Ex: perguntar se o filho é filho deles mesmo. Ou: Porque vocês mudam tanto de casa?
4. O pastor e sua esposa devem aprender a se comportar quando em casa de outras pessoas. Esperar ser convidado para entrar, para sentar, entrar em outro aposento da casa, mexer nas coisas, etc. Ser respeitoso com todos que moram ali. Regras de como cumprimentar ou quando, seria importante conhecer.
5. O pastor e família devem ser hospitaleiros. Isso quer dizer receber as pessoas em casa com alegria e tratá-las com respeito e educação. Se possível, reservar reuniões administrativas ou coisas semelhantes para o âmbito da igreja (gabinete, templo, etc...) e não em sua casa.
6. O pastor e família devem aprender a se portar à mesa. A boa etiqueta faz parte de uma boa educação. Se não souber, faça um curso sobre etiqueta. Há muitos em várias instituições como Senac e outras.
7. O pastor e família devem aprender a respeitar as pessoas mais experientes, pastores mais antigos, igrejas que tenham outros costumes ou liturgia, quando visitam, e quando são visitados ou em ocasiões semelhantes. (ressalto que aqui não há diferença em doutrinas bíblicas ou em propagação de heresias que certamente não devem ser respeitadas, mas sim em costumes e liturgias específicas)
8. O pastor deve orientar a esposa e criar seus filhos usando a Palavra de Deus como manual e guia. Isso fará com que não sejam envergonhados e percam seus filhos.
9. O pastor e sua esposa devem estar preparados para ser confrontados. Devem manter uma postura de fé e convicção que Deus está com eles e não ceder à tentação da vingança ou retaliações. A melhor resposta para um ataque é uma vida piedosa e uma família fiel a Deus.
10. A família pastoral deve entender que o ministério pastoral não se resume ao trabalho do marido e pai, mas de toda família, pois a incoerência entre esses fatores trará grandes impedimentos e problemas ao pastor na sua função e missão de aconselhar biblicamente e acompanhar os membros da congregação.
Ah, sim...última sugestão: "Sejam simpáticos, alegres. Demonstrem que são felizes por estarem servindo a Deus. Cara fechada e mau humor não fazem parte de um ministério pastoral excelente.
O pastor que não orientar sua família colherá os frutos de sua negligência e irresponsabilidade em um futuro breve.
Oriente, ensine e corrija enquanto é tempo!
Textos para leitura e meditação: 1 Timóteo 3: 1-7; Pv. 19:18; 13:24; Heb. 12:6
Deus os abençoe.
Pr. Magdiel G. Anselmo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faça seus comentários. Sua opinião é importante. Participe.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...