sábado, 24 de novembro de 2012

O que é a Igreja? (What is the Church?)



Sem esse entendimento nenhuma Igreja Local têm ou faz sentido.
Entretanto, quando entendemos nosso missão e propósito como Igreja, podemos e fazemos a diferença nesse mundo.
E, quando trabalhamos juntos em prol do cumprimento dessa missão, tudo faz sentido.

Reflita nisso !




E tudo o que fizerdes, seja em palavras, seja em ação, fazei-o em nome do Senhor Jesus, dando por Ele graças a Deus Pai.
Colossenses 3: 17.
 
Pr. Magdiel G Anselmo.
 

terça-feira, 13 de novembro de 2012

A Extinção das Igrejas Pentecostais

Me lembro que grande parte de minha vida (criança, adolescência e  parte de minha juventude) congreguei com meus pais em igrejas ditas pentecostais (digo "ditas" porque não sou simpatizante desses rótulos). Tenho boas lembranças desse tempo (mesmo hoje não concordando com muito daquilo que cria na época), pois havia uma uniformidade na doutrina dessas igrejas e isso unia os chamados "crentes pentecostais" e os distinguia respeitosamente dos então "crentes tradicionais".
Esses dois blocos eram distintos e diferiam no que tange principalmente a aspectos da doutrina do Espírito Santo (pneumatologia) como a contemporaneidade dos dos espirituais (com ênfase nos chamados dons carismáticos), no "batismo com ou no Espírito Santo" , mas também com relação aos costumes e formas de governo eclesiásticas adotadas.
Mesmo assim, as doutrinas básicas fundamentais eram idênticas.
Hoje já não podemos afirmar isso.
As igrejas chamadas pentecostais tem perdido sua identidade e doutrinas.
Venho constatando nos últimos anos o fim dessas igrejas chamadas de pentecostais. As poucas que ainda permanecem como dantes, ou seja, fiéis as credenciais pentecostais que as identificavam estão com sérias dificuldades para manter sua membresia e permanecer vivas no universo evangélico brasileiro.
Vários são os fatores causadores dessa extinção que será real se não forem tomadas medidas para interrompê-la. Vejam alguns destes:
 
a) A divisão das principais igrejas pentecostais e o uso do nome das antigas igrejas de forma indevida
 
Muitos grupos deixaram o seio de igrejas pentecostais como Assembléia de Deus, Brasil para Cristo, Avivamento Bíblico, e outras, fundando novas denominações, porém, usando parte do nome da antiga igreja mãe com o único propósito de atrair e enganar as pessoas que pensarão estar indo a antiga denominação pentecostal (essa estratégia desonesta também tem sido largamente usada por grupos que deixam igrejas tradicionais e fundam outras com o mesmo nome). Essas igrejas propagam doutrinas e costumes diferentes da antiga, confundindo muitos e produzindo muitas heresias e muito sofrimento no meio do povo sem conhecimento bíblico.
 
b) A ausência nas igrejas pentecostais, muitas vezes, do ensino sobre as doutrinas estranhas à Bíblia propagadas pelos neopentecostais.
 
A ausência desse ensino aos seus membros, alertando-os para o perigo (como a teologia da prosperidade, teologia liberal, etc...), justificando esse não ensino com o argumento mal interpretado de "não julgar" tem causado muitos problemas aos crentes pentecostais de uma forma geral. O ensino bíblico sempre será uma vacina eficaz contra as heresias. A negligência a essa verdade pode destruir uma igreja local, e por vezes, isso é o que tem ocorrido no que diz respeito às igrejas pentecostais.
 
c) A influência e atuação cada vez maiores da mídia (TV e rádio) das igrejas neopentecostais aliadas a ausência dos crentes ás reuniões de ensino (EBD) ou similares de suas igrejas tem produzido uma multidão de crentes sem vínculo físico com suas antigas comunidades (crentes sem igreja). Essa tendência cada vez mais forte incentivada pelos tais pregadores midiáticos, curandeiros e milagreiros de plantão unida a também idéia equivocada de "acabar" com a EBD e substituí-la por outras atividades tem destruído a vida de muitas igrejas locais, principalmente as pentecostais.
 
d) A influência dos ensinos de cantores gospel embutidos em seus CD's e DVD's também tem ajudado muito a crentes sem conhecimento bíblico sólido buscar conhecer igrejas neopentecostais e consequentemente acabam por ser enredados em suas doutrinas antropocêntricas e suas filosofias de auto-ajuda. Além de contaminar os cultos de suas igrejas com músicas sem nenhum apoio bíblico e muitas propagadoras de heresias como a confissão positiva, teologia da prosperidade, etc...
 
e) A facilidade encontrada em nossos dias para "mudar de igreja", devido a imensa quantidade existente de grupos que se dizem evangélicos, também tem sido este um fator importante a se considerar. Como todas tem semelhanças no nome ou ainda no povo que ali congrega, as pessoas imaginam que são semelhantes em suas doutrinas e costumes. Ledo engano, as igrejas neopentecostais, disfarçadas de comunidades felizes e cristãs, nada tem de semelhante aos ensinos, tradições e costumes de igrejas pentecostais e tradicionais históricas. São apenas caricaturas do que seria uma igreja, com ensinos e práticas desvinculadas da Palavra de Deus.
 
f) A politicagem (política ruim) também tem sido um fator importante para a inevitável extinção das igrejas pentecostais. A morte dos antigos líderes, fundadores e surgimento de novos líderes com mentalidade e visão totalmente equivocadas e nada cristãs, influenciadas por outros países (principalmente EUA) ou pelo egocentrismo e um crescente interesse pela fama e pelo poder denominacional tem contaminado as cúpulas de várias igrejas pentecostais, gerando destruição e ausência de temor a Deus. A politicagem tomou o lugar do pastorado.
O importante não são as pessoas mas as coisas, o nome e os títulos denominacionais são almejados ao preço do sofrimento de ovelhas sem pastor.
 
Considerações Finais
 
Esses são apenas alguns fatores que considero relevantes para a realidade que se apresenta.
Sei que muitos desses fatores tem assolado a igreja evangélica brasileira como um todo, mas ainda vejo alguma resistência em outros grupos, o que não consigo observar nas igrejas de minha adolescência e juventude, nas chamadas igrejas pentecostais.
Caro leitor, você pode até não concordar com a  extinção das igrejas pentecostais (entendo que a boa esperança é uma virtude a se buscar sempre), sei que existem ainda remanescentes, porém há de concordar que esses fatores são reais e que tem causado ruína e destruição nos arraiais evangélicos, com ênfase nos pentecostais.
Mesmo não sendo pentecostal, e repito que não me simpatizo com esses rótulos, confesso que o que tem ocorrido é uma triste realidade.

 
Pr. Magdiel G Anselmo. 
 

segunda-feira, 5 de novembro de 2012

A VIDA DURA DE UM TEÓLOGO

Talvez o título deste texto deixe a impressão em alguém de uma certa arrogância, mas é bem o contrário. Um teólogo não é nada mais que um cristão que deseja aprender com mais profundidade a Palavra de Deus para poder abençoar a outros, ensinando o que aprendeu de forma correta e fiel as Escrituras Sagradas.
Além disso, um teólogo cristão biblicamente falando é uma pessoa que almeja não somente conhecer superficialmente a Palavra de Deus mas se alimentar de todas as suas nuances em detalhes desvendando pelo Espírito aquilo que antes não podia entender por falta de conhecimento.
Um teólogo de Deus não se caracteriza por interesses pessoais, politicagens e ambições desmedidas, marcas claras do teólogo oportunista, desonesto e que corrompe a seu favor a interpretação e aplicação correta e adequada da Palavra de Deus.
Um bom teólogo não se engrandece de saber mais que outros, não se ensoberbece por conhecer as linguas originais, hermenêutica, homilética, teologia sistemática, exegese, e outras disciplinas da grade dos bons cursos teológicos. O bom teólogo sabe que quanto mais ele sabe e aprendeu, mais se tornou servo de Deus e da Igreja. Ele sabe que o conhecimento adquirido não é somente pra ele, mas para tantos ele conseguir transmiti-lo com responsabilidade e humildade. Ele sabe que sua prestação de contas será grande diante do Senhor.
Esta vocação/paixão e abnegação deveriam levar esta pessoa a ser compreendida com alegria e satisfação pelos outros irmãos que não tiveram ou puderam ter esta oportunidade, pois através dela Deus pode abençoar a tantos outros e as pessoas deveriam motiva-la cada vez mais a ser este canal de bençãos para a Igreja.
Mas na maioria das vezes o teólogo mal pode revelar que assim o é. Ele sabe que muitas vezes será entendido como arrogante, orgulhoso e até mesmo alguém com complexo de superioridade. A palavra teologia soa para muitos como algo danoso e até diabólico e muitos cristãos, inclusive "obreiros" evitam a palavra para não trazer problemas.
Quando alguém se levanta para ensinar a Palavra de Deus com autoridade vinda do conhecimento que obteve em anos de dedicação em sala de aula, em noites em claro estudando a Bíblia, horas de estudo acompanhadas de oração, acaba se tornando incompreendido e um inimigo a ser combatido.
Muitos líderes medíocres ainda se sentem inseguros e incapazes diante do conhecimento bíblico de muitos teólogos e fazem de tudo para que saiam de "suas igrejas" e não "atrapalhem" seus ministérios.
Por isso muitos teólogos se decepcionam com a Igreja e se escondem aceitando a condição de incompreendidos. Lançam em terra todo esforço e bom propósito de anos de trabalho duro. Lamentavelmente enterram seus talentos. 
Felizmente, ainda existem grupos que entendem a relevância de alguém que se dedicou ao ensino das Escrituras e que renunciou a anos de comodidade para se tornar teólogo. Ainda bem que ainda existem "bereanos" em nossos dias.
Ainda existem irmãos e irmãs que procuram homens e mulheres que os ajudem a entender as Escrituras de forma honesta e que os levem a boa interpretação destas. Ainda existem pessoas que desejam ser abençoadas.
São esses que fazem a vida dura de um teólogo valer a pena...
Graças a Deus, ainda existem homens e mulheres que não desanimam e pagam o preço para abençoar outros.
Ainda existem os bons teólogos...

Toda glória, honra, louvor e poder sejam dados a Deus.

Pr. Magdiel G Anselmo. 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...