sexta-feira, 30 de março de 2012

Decepcionados e feridos, mas não destruídos.

Quando iniciamos nossa vida cristã, temos a impressão que todos nossos irmãos são um exemplo de santidade, amor e sabedoria. O primeiro amor nos leva a crer que podemos confiar nas pessoas e esperar delas aquele amor, compreensão, apoio e sabedoria que aprendemos nas Escrituras e que devem ser características do povo de Deus. Olhamos para nossos líderes cristãos e vêmos homens e mulheres que se dedicam em nos ensinar, discipular, acompanhar e amar.
Não conseguimos enxergar as falhas, defeitos e os "vícios cristãos" de nossos irmãos mais "velhos", daqueles que aguardamos ansiosamente que nos sirvam o bom alimento vindo dos céus.
Com o tempo, percebemos que as coisas não são como esperávamos...
Aqueles que nos diziam que nos amavam, nos ferem. Aqueles que diziam para seguí-los, nos enganam.
Conhecemos o sabor da decepção e da falsidade. Todo nosso sentimento de irmandade transforma-se em desconfiança, amargura e frieza. 
Muitos então, criam em seu interior uma aversão a tudo que os faz lembrar o que passaram. Resolvem não mais conviver em comunidade ou congregação e simplesmente "deletam" da vida o tempo em que assim viviam.
O que ocorre é que a decepção foi tamanha que ocasionou feridas profundas e sofrimento na época e ainda hoje quando lembram o que vivenciaram. Quando lembram que toda dedicação, confiança e amor não significaram nada para aqueles que implacavelmente os feriram e lançaram porta à fora ficam revoltados e ao mesmo tempo tristes (percebemos isso claramente em comentários e postagens de irmãos pela net. Há uma revolta e tristeza imensa dentro deles contra tudo que signifique ou lembre a igreja institucionalizada ou organizada).

Tudo fruto de decepções com "irmãos", com líderes, pastores e até com uma igreja toda. Foram incompreendidos, maltratados, humilhados, feridos e deixados para morrer sem qualquer tipo de tratamento ou acompanhamento que visasse restaurar áreas afetadas pelo pecado ou simplesmente frágeis por causa, muitas vezes, da imaturidade normal a quem inicia sua caminhada cristã e convívio em congregação.
Muitas dessas pessoas até reconhecem que erraram e pecaram, mas não entendem porque não foram tratadas com o devido amor para que pudessem trilhar o caminho do conserto, da reconciliação e da restauração, tão ensinados pela Bíblia.
Foram descartadas como um peso morto, algo que não merecia estar ali. Ninguém as procurou desde então, nem um telefonema, um email, uma carta ou uma visita sequer. Simplesmente para aqueles que diziam que tinham amor por eles, já não existiam mais. Foram mortos pelo desamor, pela impaciência, pela preguiça ministerial, pela ausência de vontade de buscar e restaurar vidas que podiam ser restauradas. Afinal, nada é impossível para Deus, mas esse texto bíblico foi retirado da Bíblia pelos seus "irmãos perfeitos" e "sem pecados".
Por essa razão esses irmãos perderam a esperança nas pessoas. Perderam a confiança nas lideranças e ergueram muralhas quase que intransponíveis para o retorno a antiga vida.
Alguns a muito custo, tentam retornar mas, ao encontrar "irmãos do filho pródigo" ou observar situações semelhantes fogem rapidamente para não ter que passar pelo mesmo sofrimento do passado. Não tem mais aquela paciência ou perseverança aque tinham em tentar agir diferente ou entender o porquê das situações que se apresentam. Simplesmente desistiram e decidiram servir a Deus de outra maneira. Maneira essa que tentam aprender pois tudo é novidade nessa nova empreitada.
E pra isso, procuram encontrar outros irmãos que, tal qual eles, viveram situações semelhantes e também buscam não perder o vínculo e a comunhão com Deus, apesar de tudo que passaram.
E ainda agora, continuam sendo perseguidos e tratados com desamor.
Não bastou serem desprezados, é necessário agora serem também "demonizados". Muitos afirmam sem pensar ou sem conhecer a história da vida daquela pessoa: Quem está sem igreja, está sem Deus!
Claro que a generalização aqui é indevida, cada caso é um caso, e diria que tem muita gente nas igrejas que estão muito afastadas de Deus. Portanto, estar congregando em uma igreja não autentica alguém como cristão, assim como o não estar também não autentica alguém como ímpio. Há cristãos e ímpios nos dois grupos.
Mas lamentavelmente o discernimento não é aplicado nestas questões e novamente muitos irmãos são feridos e tratados sem amor e paciência, como se fossem a éscoria "cristã". E isso apenas os faz lembrar do passado sofrido e confirmar que ainda não há como retornarem. Seus irmãos são implacáveis quando deviam ajudá-los.
Pode ser, caro leitor, que você ao ler essa postagem, se identifique com muita coisa que escrevi e pode ser que você esteja sofrendo ainda hoje por questões semelhantes a que mencionei.
Deixa eu lhe dizer algo como seu irmão em Cristo:
  • Tenho como convicção que todo cristão deveria escolher uma igreja para congregar e ali servir a Deus com seus dons, talentos e instrumentalidade. Já escrevi artigos e artigos sobre isso aqui mesmo nesse blog. Sei que congregar é importante para todos nós. 
  • Tenho também como convicção que fora da igreja organizada assim como a Bíblia nos orienta não se conseguirá exercer uma vida cristã completa, ou seja, irá sempre estar faltando aquele momento em família (comunidade), aquela adoração congregacional e aquele instante maravilhoso de ouvir a pregação em forma de sermão. Sem contar, o ensino (EBD), comunhão e confraternização congregacional... Enfim, falo da vida em comunidade cristã... você sabe do que estou falando...
Mas, também tenho convicção que: 
  • Muita gente não está fora da igreja porque escolheu ou decidiu estar. Muitos foram obrigados a sair. Mesmo entendendo que existem rebeldes e insubmissos, mas esses são minoria, a meu ver.
  • Muitos locais que dizem igrejas não o são. São simplemente "propaganda enganosa" e enganam as pessoas sinceras.
  • Muitos líderes (pastores, etc) são apenas pessoas que escolheram a igreja para "mandar" em outras pessoas e exercer uma liderança ditatorial e anti-bíblica
  • Muitos líderes são inescrupulosos e interesseiros, buacando enriquecimento e fama pessoal. 
  • Muitos líderes sequer são convertidos ao Evangelho. 

 E, lamentavelmente também tenho que dizer que:
  • Muitos que se dizem cristãos, deveriam "lavar a boca com sabão", pois não entenderam o básico em ser cristão, ou seja, ser um cristão realmente convertido a Cristo é ser alguém transformado por Deus, o que na verdade muitos não são.
  • O amor de muitos tem esfriado, cumprindo o que as Escrituras já nos afirmaram.
  • Nem todo aquele que diz: Senhor, Senhor...entrará no reino dos Céus, e nem todo lugar onde está escrito "igreja" é realmente a casa de Deus.
     Se eu terminasse aqui essa postagem, você poderia dizer:
    - Tá vendo, eu estou certo em viver como eu vivo hoje.
    Mas, tem mais uma coisa que eu gostaria que humildemente entendesse:
  • Existem cristãos fiéis e amorosos que buscam ajudar e amar seus irmãos. Não são muitos, mas existem...
  • Existem igrejas sérias e comprometidas com a Palavra de Deus. Não são muitas, mas existem...
  • Existem irmãos que sofrem e choram na presença de Deus ao ver o sofrimento de outros irmãos e ao presenciar o que passam.
  • Ainda existem crentes que amam...ainda existem.
  • Existem líderes que sofrem e não entendem porque tanto desamor assola as igrejas, são poucos, mas existem...
  • Existem irmãos que pedem a Deus por vocês. Que intercedem por vós, para que não cedam as tentações e caiam nas armadilhas do inimigo. Existe gente que ora por vós...
  • Existe gente que sabe que vocês não deixaram de ser seus irmãos, ou deixaram de servir a Deus, simplesmente por não congregar mais. Eles acreditam em vocês...
  • Existe gente que entende vocês...
  • Existe gente que ama vocês.
Portanto, como seu irmão, eu peço:
Não perca as esperanças, não desanime, fique firme. Exerça seu ministério. Sirva a Deus.
Não pare de orar. Não pare de ler e estudar sua Bíblia.
Não pare de adorar. Não pare de amar.
E, não esqueça, perdoe as pessoas, todas elas...

E, se decidir voltar a congregar em uma igreja, saiba que encontrará problemas, encontrará gente que não ama e que serão muito semelhantes as que te feriram no passado.
Mas, também não esqueça que lá também existirão irmãos que compreendem o que significa Cristianismo e ser cristão. Olhe para esses e ore pelos outros.


E se não decidir voltar a congregar, sinta-se amado por Deus da mesma forma.
E, sinta-se amado por mim também...

O amor de Cristo sempre nos unirá!

Te amo em Cristo querido(a) irmão(a).
Fique na Paz do Senhor Jesus Cristo.






Deus nos abençoe,
Pr. Magdiel G Anselmo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faça seus comentários. Sua opinião é importante. Participe.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...