sábado, 28 de janeiro de 2012

Marcas do Evangelho de Cristo e de sua fiel pregação

Existem muitos "evangelhos" sendo pregados, propagados e ensinados pelo mundo afora, todavia somente há um Evangelho de Cristo e este está baseado, fundamentado e relatado nas Escrituras Sagradas, sendo-nos comunicado pelo Espírito Santo através da pregação bíblica.
Muitos púlpitos carecem de um pregador fiel às Escrituras. Mensagens motivacionais, de auto-ajuda, filosóficas, e até místicas estão substituindo a verdadeira pregação apostólica. Muitos pregadores e pastores sequer se preparam adequadamente para subirem ao púlpito, levando ao rebanho apenas divagações ou conceitos que todos estão cansados de ouvir e saber, mas não há uma aplicação sincera e fiel dos princípios bíblicos ao cotidiano das pessoas presentes.
Por isso, a necessidade de se ressaltar quais são as marcas que autenticam o verdadeiro Evangelho de Cristo.
Este legítimo Evangelho (Boas novas) tem características marcantes e produz na vida daquele que é alcançado por ele, mudanças profundas, visíveis e radicais. A seguir algumas dessas mudanças serão mencionadas.

1. O Evangelho de Cristo é comunicado pela pregação da Palavra de Deus
(1 Cor. 1:18-25)

Partindo dessa premissa revelada na Bíblia, chegamos a conclusão que somente ocorrerão conversões verdadeiras onde está sendo pregado esse Evangelho.
Dessa forma, entendemos que onde pretensos pregadores usam púlpitos para propagar opiniões pessoais ou de outros, filosofias humanas de vida e de comportamento para o ser humano, técnicas de indução ou pressão psicológicas, idéias e concepções que não encontram nenhum respaldo na Bíblia, ou como diz alguém "ficar enrolando o povo", fruto de despreparo para se pregar (e esse despreparo é visívelmente notado pois fala-se muito e diz-se nada), certamente não haverão ali conversões verdadeiras.
Quando não existe a mensagem de salvação sendo pregada de forma fiel às Escrituras, não adiantarão palavras bonitas ou rebuscadas, oratória excelente ou carisma. As emoções podem ser aguçadas e despertadas, porém, "as palavras de vida eterna" (João 6:68) que as pessoas precisam para que haja a operação convencedora e milagrosa do Espírito não serão ali comunicadas e portanto, continuarão mortas em seus pecados e delitos.
E se por acaso, nestes ambientes houver alguma pessoa salva advinda de outros ambientes, não encontrará o alimento necessário para sua vida espiritual e para o dia-a-dia, e consequentemente, prosseguirá como um "bebê", não sabendo como agir diante dos problemas e dilemas da vida.

Aqui vale uma observação: Mesmo em igrejas locais que sempre foram exemplos de fidelidade às Escrituras é necessário que os crentes fiquem alertas às infiltrações e ardis sutis de satanás que tentam trazer ao ambiente cristão práticas e filosofias totalmente contrárias aos princípios e valores revelados na Bíblia.
Desta forma, tal qual os bereanos, devemos analisar tudo que é pregado, ensinado e comunicado à luz da Palavra de Deus.  Sempre vigiar pois o diabo está em derredor como se fosse um leão, pronto a nos atacar, se não ficarmos atentos e alertas.

2. O Evangelho de Cristo prega o arrependimento.
(Atos 3:19)

Revela ao ser humano (criatura de Deus) que ele é pecador (separado de Deus) e necessita de um salvador (está condenado ao inferno).
O arrependimento é fundamental na pregação do Evangelho. Não basta saber que Deus existe e que Nele há salvação, é sim necessário arrepender-se dos seus pecados, confessá-los a Deus, pedir perdão e então reconhecê-lo como o único e suficiente Salvador e Senhor. (1 João 1: 9).
O primeiro passo é o arrependimento sincero e incondicional.

Aqui vale mais uma observação: Arrependimento não é simples remorso, denota mudança de atitudes, opiniões, valores e princípios. É transformação total e integral. Arrependimento conforme ensinado na Bíblia, não é simplesmente ter certeza de que está errado, é por saber disso, parar de cometer os mesmos erros. É realmente mudar de vida.
Claro que o processo de santificação varia de pessoa para pessoa, porém o novo-convertido deve ser ensinado sobre todos os assuntos da vida e advertido de que o discípulo de Cristo deve obedecer a seu Senhor.
O pregador não pode temer afirmar essa verdade. Esta é sem dúvida, a verdadeira pregação do Evangelho.
Se não houve arrependimento, não haverão mudanças, e certamente não houve conversão. 

3. A pregação do Evangelho de Cristo (e somente através dela) produz conversões autênticas.
(1 Coríntios 1: 21)
A Palavra de Deus nos afirma "pelos frutos os conhecereis". Portanto, o verdadeiro cristão produz frutos que autenticam sua verdadeira filiação. Da mesma forma, a conversão também pode ser autenticada pelos frutos da vida do então "novo-convertido", ou seja, quem é verdadeiramente salvo é uma nova criatura (2 Cor. 5:17), e terá, com certeza, uma nova forma de ver e entender a vida, Deus e tudo o mais.
Há um erro grave em alguns cristãos e alguns grupos religiosos em pensar que alguém é realmente convertido quando simplesmente frequenta regularmente uma igreja, ou fala como crente ou veste-se como as regras que seu grupo determina, ou ainda porque um dia levantou a mão e foi à frente em um culto, após um "apelo" insistente e emocionado do pregador.
Sei que pode ser verdadeiro em alguns casos essa conversão (não limito o poder de Deus e muito menos busco cercear o seu modo de agir).  Claro que pode ocorrer, porém não são estes os frutos que a Bíblia nos revela e que autenticam o verdadeiro cristão.
Veja alguns desses frutos:

a) Amor a Deus (em tudo que faz, pensa e fala, considera o que Deus pensa sobre isso)

b) Amor às pessoas (respeitando-as, compreendendo-as, abençoando-as, perdoando-as e em alguns casos, suportando-as)

c) Mudança de atitudes quando ninguém vê (profissionalmente, acadêmicamente, etc...)

d) Alegria (mesmo quando com problemas e em meio a dificuldades)

e) Fé (não importando as circunstâncias)

f) Paz (busca a paz, é pacificador)

g) É um evangelista (tem prazer em falar de Jesus às pessoas)

h) Não tem vergonha de afirmar com alegria que é convertido ao Evangelho de Cristo.

A conversão é total, é uma guinada de 180 graus. Não é simplesmente emocionalismo, não é superficial, nem tradicionalismo. É enfaticamente, um novo-nascimento.


4. O Evangelho de Cristo ensina a humildade
(Mateus 5: 3)

Humildade não é sinal de fraqueza e nem antônimo de firmeza. No contexto bíblico é uma virtude do cristão que o leva a ouvir as pessoas, refletir e discernir sobre o que ouviu e então decidir qual posição e decisão tomar.
Humildade é, não importando o cargo ou posição que ocupe, ter a atitude de reconhecer que todos os irmãos em Cristo podem ser usados por Deus para nos abençoar de alguma forma. É acima de tudo crer na soberania divina e em seus propósitos eternos, e estar pronto a reconhecer erros e limitações.
Ser humilde é ser "ensinável" e por vezes se colocar em posição de aprendiz.
Um cristão que se diz filho de Deus, e que não possui essa virtude, ou não entendeu o básico sobre o Evangelho e por isso "engatinha" ou não é verdadeiramente um filho de Deus.

5. O Evangelho de Cristo ensina o já salvo a como viver de tal forma que agrade a Deus e se porte dignamente como um filho de Deus.
(Mateus 5,6,7)

A mensagem "venha como estás e permaneça como estás" não é a mensagem bíblica.
Se o cristão somente for ensinado a crer e não como deve fazer para colocar em prática os ensinamentos de Deus, certamente não saberá como viver e continuará pecando por falta de conhecimento.
A advertência em abandonar os pecados deve ser pregada constantemente nas igrejas e em todas as oportunidades (num sermão, estudo bíblico, EBD, evangelismo, grupos pequenos, etc...)
Se somente pregar aos não salvos e desprezar os já salvos, não se terá ali uma igreja, mas sim uma creche espiritual, onde poucos cuidarão de muitos, e em alguns casos, vêmos crianças tentando cuidar de outras crianças.
O Evangelho traz as duas mensagens: a de salvação para os perdidos e a de edificação para os salvos. As duas devem ser pregadas e ensinadas.

Aqui vale outra observação: Quando não há o ensino sistemático da Palavra, o que acontece invariavelmente são duas situações: a primeira é que as ovelhas procurarão outra pastagem para se alimentar e podem pelo caminho serem apanhadas pelos lobos que estão a espreitar o rebanho. A segunda é que por não ter conhecimento bíblico suficiente ingressam em grupos heréticos que as confundirão e as deixarão enfermas. Cabe então aos fiéis pastores e pregadores da Palavra alimentar o povo de Deus com todo o cardápio bíblico oferecido evitando assim esses problemas. 

Conclusão

Muitas outras marcas eu poderia mencionar para demonstrar a autenticidade do Evangelho de Cristo. Mas penso que essas já ajudam a compreender a questão de tantos grupos e cristãos viverem e pregarem um "evangelho" que não é o de Cristo.
O erro na grande maioria das vezes está na mensagem que é pregada. Prega-se um evangelho sem conversão, sem arrependimento, sem humildade, sem ensino para a vida, sem mudanças de atitudes e sem abandonar pecados. 
Alguns acreditam que serão salvos apenas porque foram "criados" na igreja ou porque conhecem textos bíblicos e até gostam dos cultos e dos irmãos.
O que precisamos sempre bradar é que o Evangelho de Cristo tem marcas visíveis e radicais na vida do pecador salvo.
Os que serão salvos, o serão através da atuação poderosa do Espírito na pregação do Evangelho de Cristo.
Os crentes ao ouvirem a mensagem evangélica na unção do Espírito sendo pregada principalmente em forma de sermão, são impactados de tal forma que saem da igreja prontos para a vida, confortados, consolados ou advertidos, repreendidos.
Esta pregação do Evangelho, reafirmo, é que salva, liberta, transforma, orienta e dá-nos condições de continuar vivendo nesse mundo glorificando a Deus.
As demais são apenas doutrinas de homens e até de demônios, nada podem fazer e trazer de bom ao ser humano no que tange a busca de sua dignidade e de sua salvação.

Que sejamos sempre fiéis a Palavra de Deus e a preguemos com seriedade e fidelidade.

Sola Scriptura !

"Pois não me envergonho do Evangelho, porque é o poder de Deus para salvação de todo aquele que crê, primeiro do judeu e também do grego; visto que a justiça de Deus se revela no Evangelho, de fé em fé, como está escrito: O justo viverá por fé."
Romanos 1: 16,17.

A Deus toda glória, louvor e poder !

Pr. Magdiel G Anselmo


Um comentário:

  1. É bom encontrar postagens que se possa ler e meditar, é bom encontrar irmãos que se esforçam para se manterem íntegros, que se afastam do pecado, e o desmascaram. É bom encontrar irmãos que amam mais a Jesus do que a posição que ocupam. É bom encontrar irmãos que se alegram na verdade e falam dela como uma forma de vida, Isto alegra o coração de Deus, e traz verdadeira recompensa. A pessoas assim deixo um abraço em Cristo Jesus, e que a paz e a graça de Jesus sature o seu coração.

    ResponderExcluir

Faça seus comentários. Sua opinião é importante. Participe.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...