sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

A POSTURA EXIGIDA A UM MINISTRO DA PALAVRA DE DEUS


Durante um treinamento para alguns obreiros e líderes fui questionado com relação a postura de algumas pessoas que estão em posição de liderança (alguns até pastores e presbíteros), que possuem até vasto conhecimento bíblico/teológico mas que agem sem a mínima educação e ética em diversas ocasiões causando situações constrangedoras e inconvenientes de toda ordem. Foi-me sugerido escrever sobre isso e é o que faço agora, para que (quem sabe...) alguns ao lerem sejam despertados para a importância de suas ações e atitudes que muitas vezes servem de obstáculos para sua credibilidade e aceitação em geral.
Dito isso, segue alguns observações pertinentes:

O pastor e sua família (esposa e filhos) são pessoas que estão em evidência a todo instante e são convidados para eventos, cerimônias e ocasiões festivas, além de fazer da visitação aos membros uma rotina. Para tanto o pastor deve saber se portar e comportar diante de várias situações, para que sua autoridade não seja contestada e envergonhado seja seu ministério.

Atividades comuns e corriqueiras à vida da família pastoral:

• Ouvir e aconselhar pessoas (pastor e muitas vezes a sua esposa);

• Visitar pessoas (a sós ou com a esposa);

• Receber visitas em sua casa;

• Ser convidado para almoçar ou jantar em casa de irmãos ou amigos;

• Convidar colegas, irmãos ou amigos para almoçar ou jantar em sua casa e

• Ser convidado para pregar ou palestrar em outras igrejas;

• Participar de eventos sociais e comemorativos (formaturas, festas em geral, velórios, aniversários, bodas, casamentos, eventos oficiais da denominação, etc...)

e tantas outras ocasiões...

Para que o pastor e sua família causem boa impressão e sejam respeitados por todos (crentes e não crentes) seguem abaixo algumas recomendações que devem pautar a postura do pastor e família frente a esses compromissos religiosos, sociais e ministeriais que são do dia-a-dia no pastorado.

1. O pastor e sua esposa devem aprender a ouvir as pessoas e depois aconselhar se necessário e solicitado (repito, aconselhar se solicitado). Devem aprender a conversar sem usar gírias, palavras inconvenientes, etc.

2. O pastor e esposa não devem comentar com outros seus assuntos particulares, muito menos falar sobre algo pessoal do(a) outro(a) para alguém sem este ser consultado(a) primeiro. Ex: salário do marido, quanto pagam de aluguel, quanto estão devendo, se a mulher ronca ou não arruma a casa direito, comparar filho com filho, vida sexual e outros absurdos.

3. Assuntos delicados devem ser evitados a todo custo. A menos que a(s) pessoa(s) envolvidas diretamente peçam aconselhamento ou orientação espiritual. Do contrário não seja inconveniente ou mal educado. Ex: perguntar se o filho é filho deles mesmo. Ou: Porque vocês mudam tanto de casa?

4. O pastor e sua esposa devem aprender a se comportar quando em casa de outras pessoas. Esperar ser convidado para entrar, para sentar, entrar em outro aposento da casa, mexer nas coisas, etc. Ser respeitoso com todos que moram ali. Regras de como cumprimentar ou quando é importante conhecer.

5. O pastor e família devem ser hospitaleiros. Isso quer dizer receber as pessoas em casa com alegria e tratá-las com respeito e educação.

6. O pastor e família devem aprender a se portar a mesa e regras básicas de etiqueta em várias situações. A boa etiqueta faz parte de uma boa educação. Se não souber faça um curso sobre o assunto. Há muitos em várias instituições como SENAC e outras.

7. O pastor e família devem aprender a honrar as pessoas quando visitam, são visitados ou em ocasiões semelhantes.

8. O pastor deve orientar a esposa e criar seus filhos usando a Palavra de Deus como manual. Isso fará com que não sejam envergonhados e percam seus filhos.

9. O pastor e sua família devem respeitas as normas da casa, ou do hospital ou do local que está visitando. Isso é educado e demonstra respeito pelas pessoas.

10. O pastor não deve monopolizar uma conversa, mas deixar que as pessoas falem. Há líderes que pregam ao invés de dialogar com os outros. Isso é irritante e produz impedimentos a futuros diálogos.

Lembre-se:
Sua postura inadequada e mal-educada pode prejudicar seu ministério.
Esposa e filhos não orientados podem prejudicar seu ministério pastoral.
Pastorear é ser responsável, sério e sábio na orientação, na pregação, no ensino e no aconselhamento da verdade bíblica e consequentemente na conduta e postura cristãs, trazendo a quem ouve ou convive paz, sabedoria e revelação de Deus. Não permita que isso seja escondido pela falta de educação e equilíbrio.

O pastor que não atentar para esses detalhes e  não orientar sua família colherá os frutos de sua negligência e irresponsabilidade em um futuro breve.
Não seja inconveniente! Não seja motivo de piada !

Mude, oriente, ensine e corrija enquanto é tempo!

Textos para leitura e meditação: 1 Timóteo 3: 1-7; Pv. 19:18; 13:24; Heb. 12:6

Deus os abençoe,

Pr. Magdiel G Anselmo.

3 comentários:

  1. Teologia pastoral prática... ótima abordagem! Infelizmente, muitos obreiros acham que com grosserias, dos mais variados tipos, serão respeitados. Na verdade, o respeito recebido é função do respeito próprio, manifestado diante de todos. Se queremos respeito, precisamos respeitar - os outros e nós mesmos. Jesus era contudente sem ser mal educado; se fazia respeitar por todos. Esse é o exemplo a ser seguido, sob pena de incorrer em grande mal em descrédito pessoal e, pior: descrédito como Ministro.

    ResponderExcluir
  2. Que bênção obrigado.

    ResponderExcluir
  3. A pratica e vivencia do respeito ao próximo e da fe ainda está escassa diante de muitos pastores, e quando mais velhos de ministério mais arrogantes.

    ResponderExcluir

Faça seus comentários. Sua opinião é importante. Participe.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...