terça-feira, 27 de setembro de 2011

Ainda há tempo para escolher retornar

Lucas 15: 11-32

Você já deve ter ouvido as seguintes frases: “O que foi que deu nele? Por que fez isso? Mas estava tudo bem? Meu Deus, onde foi que errei? O que aconteceu?”
Essas frases refletem o estado de perplexidade e angústia de alguém diante de situações de perdas, separações e tragédias. Geralmente em situações assim ficamos procurando culpados.
O fato é que na grande maioria das vezes, fomos nós que procuramos os problemas e quase sempre, os achamos.
Mas o que pode levar alguém a fazer más escolhas, a tomar decisões equivocadas ou precipitadas, a fazer bobagens na vida, a procurar problemas para si?
O texto bíblico proposto nos traz a história de um rapaz que embora estivesse na casa do pai, num ambiente saudável, resolveu ir embora, desistindo dos seus relacionamentos, deixando a família, e na busca de dias melhores experimentou o pior e finalmente num momento de lucidez decidiu voltar para o lugar de onde nunca deveria ter saído.
O que leva alguém a querer deixar um ambiente saudável e uma condição tão boa e se aventurar pela vida? O que pode levar alguém a fazer tal escolha?
Existem muitas razões para más escolhas na vida, mas à luz do texto em questão, podemos pinçar e extrair algumas verdades que nos ajudam a refletir os nossos processos de escolhas e decisões com os quais temos que lidar diariamente.


1. Fique atento aos processos que estão se desencadeando dentro de você.

Alguma coisa estava acontecendo no interior daquele rapaz. Ninguém dorme bom e acorde assim. Ninguém dorme honesto e acorda ladrão. Ninguém dorme gente boa e amanhece sem caráter. As coisas vão sendo construídas, vão acontecendo gradativamente. Certamente, aquele rapaz já estava pensando sobre o que faria bem antes de tomar a decisão. Algo o estava motivando para tal escolha.
E é assim que ocorre. Se permitirmos, vamos fazendo concessões, vamos sendo influenciados por pessoas e circusntâncias. Se deixarmos os maus pensamentos povoar nossa mente, eles acabam por  dominar nossas atitudes.
Diariamente estamos num processo dinâmico de adições e subtrações de valores que vão impulsionar as nossas decisões. Precisamos ficar alertas quanto a isso.

2. Não procure se dar bem pelo caminho do egoísmo.

O rapaz não se importa com a dor que provocará no coração de seu pai.  Ele se tornara insensível e egoísta.
No afã de serem bem sucedidos na vida, muitos partem para uma carreira solitária, em detrimento inclusive dos seus relacionamentos. Para conseguir o que querem, passam por cima de tudo e de todos, para alcançar o que tanto desejam.
Acontece que a felicidade não é uma construção individual, sempre passará pelo modo como nos conduzimos e pelos nossos relacionamentos.
Ninguém é feliz sozinho. Ninguém é feliz vivendo isoladamente.
Até um bolo que uma mulher faz, o faz pensando no amado, por isso geralmente pergunta: “você gostou?” Será que valerá a pena chegar ao final da vida e olhando ao redor e para trás verificar que no processo das escolhas e “conquistas” na vida machucamos tanta gente?
Será que valerá a pena ganhar coisas e perder pessoas?
Nos valores cristãos coisas devem ser usadas e pessoas devem ser amadas e nunca o contrário.

3. Nunca sacrifique o futuro em função do presente.

Acredite que é melhor desfrutar o presente, mas sempre com olhos no futuro.
Muitos estão vivendo o aqui e agora sem nenhum olhar para o futuro.
Veja: “Pela fé Moises, quando já homem feito, recusou ser chamado filho da filha de Faraó, preferindo ser maltratado junto com o povo de Deus a usufruir prazeres transitórios do pecado...permaneceu firme com quem vê aquele que é invisível”. Heb.11:24-27
A conta que nós e, principalmente as próximas gerações, deverão pagar pelas escolhas e ações que fazemos hoje pode ser muito alta. Isso vai desde um simples cuidado com o próprio corpo ao cuidado com o planeta.

4. Não se apóie na aparente estabilidade das boas condições.

Esse moço estava “por cima da carne seca”. Naquele momento tinha grana, liberdade e o mundo à sua frente. Ele não contava que as coisas iam mudar. Foi gastando o que tinha, o tempo foi passando, e as coisas mudaram, veio a crise. Hoje você tem dinheiro, não depende de ninguém, amanhã as coisas podem mudar. Hoje você é jovem, bonito, mas amanhã como estará? Hoje você tem status, tem poder, é assediado por todos e amanhã como estará?

5. Reflita sobre suas decisões e decida consertar os erros cometidos

O texto diz que o rapaz “caiu em si”. Que bom! Esse rapaz tem uma tomada de consciência, um insight, ele cai em si e decide mudar de rumo, e com isso evita o pior. Ele reconhece que pecou, e parte de volta para casa acreditando no amor e misericórdia do pai.

Ainda bem que tem um Pai nos esperando de braços abertos. Esta sábia decisão põe fim a um processo destrutivo na vida do moço.


Conclusão: Em nossa peregrinação existencial, Deus nos permite fazer escolhas. As nossas escolhas poderão nos levar ao lugar onde estão os porcos ou ao lugar onde estão os filhos de Deus. As conseqüências são inevitáveis: Saciar a fome com “as bolotas” servidas aos porcos ou participar da “mesa do Pai”.

Deus é um Pai amoroso e bom, que nos oferece sempre o melhor lugar para estar – Sua presença. E mesmo que tenha feito uma escolha errada no passado e hoje sofra as consequências disto, ainda há tempo para retornar.
Assim como no texto bíblico proposto, o Pai lhe espera de braços abertos e a festa já está preparada para sua volta.
Ainda há tempo...



Faça sua escolha.


Pr. Magdiel G Anselmo.



Um comentário:

  1. Pastor Magdiel
    A Paz do Senhor

    Fiz uma visita no blog do senhor e achei interessante. Estou me tornando seguidor de seu blog e gostaria que o irmão visitasse o meu blog também e torna-se seguidor dele. O meu blog possui estudos bíblicos e notícias religiosas que saem na imprensa. O irmão vai gostar. Deus abençoe.

    Rafael Carlos
    fidelidadeajesus.blogspot.com

    ResponderExcluir

Faça seus comentários. Sua opinião é importante. Participe.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...