sexta-feira, 8 de julho de 2011

O Caminho de Deus para nós.

Muitas vezes em nossa vida não entendemos o porquê dos acontecimentos e das diversas situações que nos afligem. Ficamos perplexos com os imprevistos e questionamos como podem nos acontecer fatos e conhecermos pessoas que nos machucam ou que dificultam (no nosso entendimento) o que planejamos pra nossa vida, ministério e até para nossa família.

Já que somos salvos e cremos em Deus porque somos surpreendidos com sofrimentos e aflições de todos os tipos?
Na ânsia de encontrarmos respostas a estas questões facilmente lançamos sobre o diabo toda culpa pelos nossos problemas e nos isentamos de ter de alguma forma causado tais dificuldades a nós mesmos. Não é incomum presenciarmos muitos irmãos repreendendo demônios ou espíritos maus atribuindo a eles o que lhes aflige e dificulta na sua vida. 
Ressalvo que não duvido que em muitas ocasiões os poderes das trevas são os causadores de muito sofrimento e problemas, porém, nem tudo que passamos tem sua origem neles ou é imposto por eles. Em diversas circunstâncias, eles apenas se aproveitam dos nossos erros para poder se infiltrar em nossa vida e em consequência trazer destruição e dor. Afinal de contas, os objetivos do diabo e seus asseclas desde que foram expulsos dos céus sempre foram e sempre serão roubar, matar e destruir, até que o próprio Deus determine o final de sua ações nefastas. Mas, nem tudo é causado pelo diabo. Eu diria que muito do que ocorre conosco, o diabo não teve a menor intenção de causar.
Temos que parar de dar todo esse "ibope" pra ele. Ele não está no controle das situações e das pessoas.
Deus é um soberano que governa, um rei que reina sobre tudo e todos.
Deus tem Seus caminhos para nós. Ele determina nossos passos.
Muito do que ocorre conosco pode ser consequência de nossos próprios erros e decisões impensadas, ou ainda de pecados, mas tal qual com o diabo, também há situações que não fomos nós os causadores.
Então quem causa estas situações?
Ao refletir sobre essa verdade e meditando na Palavra de Deus encontrei, dentre outros, um texto que me iluminou ainda mais o entendimento sobre essas questões e partilho convosco a seguir.
Lendo Êxodo 13: 17-22; 14:1-15, vêmos a passagem onde o povo de Deus liberto do cativeiro egípcio inicia sua peregrinação pelo deserto na liderança de Moisés. Algumas lições podem e devem ser extraídas para entendermos melhor a soberania e a vontade de Deus:

1. Deus orienta e guia o povo para que siga pelo caminho mais distante e obviamente mais difícil (vs. 17).
Por que? Por que Deus não os conduziu pelo caminho que era mais curto e mais rápido?
Alguns respondem afirmando que o caminho mais curto era aquele que levava à terra dos filisteus, e eles seriam dizimados por esse povo guerreiro. Mas, Deus não poderia livrá-los das mãos dos inimigos como tantas vezes fez?
A resposta é sim. Deus poderia guiá-los pelo caminho mais curto e livrá-los das mãos dos filisteus, porém essa não era Sua vontade. Ele tinha planos para aquele povo e para aquela ocasião específica.
Aprendemos com isso que muitas vezes não entendemos o porquê das orientações de Deus pra nossa vida e teimamos em traçar nossos próprios planos e caminhos. Decidimos à revelia o caminho que nos parece mais fácil, mais agradável, mais rápido... Mas, lá no íntimo sabemos que este não era o caminho de Deus pra nós (Prov. 16:1-9).
Fazemos isso porque entendemos que a forma de Deus é absurda e incomum demais. Perguntamos: - Por que fazer assim ou isso se todos fazem de maneira diferente e conseguem alcançar seus objetivos?
E esses pensamentos nos levam a formular argumentos que "justificam" nossa desobediência ao que Deus já nos orientou a fazer. Com isso, pensamos ser absurdo perdoar alguém que profundamente nos feriu ou prejudicou. Nos negamos a abençoar nossos inimigos e escolhemos a quem amar e a quem não amar (somente para dar alguns exemplos). Agimos como a maioria. Usamos o senso-comum e o aplicamos ao espiritual. E assim vivemos negligenciando a voz do Senhor.
O que temos que entender é: Deus tem planos para nossa vida. Ele já planejou tudo a nosso respeito. Ele sabe o que é melhor pra nós.
Por isso, obedeça a Sua voz. Para ser bem claro:
FAÇA DO JEITO DE DEUS !

2. Deus envia o povo para o deserto (vs. 18).
Deserto não é um local agradável de estar. De dia, quente demais. De noite, frio demais. Certamente é uma região difícil de viver.
Você poderia dizer: - Mas pastor, ali tudo era deserto. Aquela região era cercada por eles. É algo óbvio Deus guiá-los pelo deserto.
Eu responderia afirmando: Concordo, deserto era um local característico daquela região. Mas também lhe perguntaria: Mas, Deus não poderia transportá-los milagrosamente por ele até a Terra Prometida, sem terem que passar por circunstâncias tão difíceis? Deus não tem poder pra isso?
Penso que a melhor forma de entendermos é analisando a passagem. Quando asssim fazemos descobrimos que aquele povo precisava ir e passar pelo deserto para que tivesse maior contato e experiência com o poder, providência e a soberania de Deus.  Ou seja, para conhecerem mais a Deus era necessário passarem pelo que passaram.
Aplicando esse mesmo princípio em nossos dias, percebemos que Deus ainda envia homens e mulheres ao deserto para que aprendam e conheçam mais profundamente a Ele e Sua vontade.
Para Deus, deserto é lugar de aprendizado, não de queixas, questionamentos ou murmurações.
Um problema financeiro, profissional, familiar, conjugal, a privação de algo ou de alguém, podem ser situações-deserto permitidas e em certas ocaisões impostas pelo próprio Deus.
Ao invés de questionarmos o porquê,  a pergunta correta deveria ser:
- O que Deus deseja que eu aprenda com essa situação que estou vivendo?
Deus pode estar exercitando a paciência que afirmas possuir, ou a mansidão, ou ainda o perdão... Reflita nisso.
O interessante é que aquele povo não entendeu isso e com exceção de Josué e Calebe, morreram todos no deserto. Não mais saíram dele. Viveram e morreram nele. Triste fim.
O tempo a estar no deserto, vai depender do seu nível de aprendizado com relação ao que Deus lhe ensina.

Por isso, se vives em um verdadeiro deserto hoje, lhe advirto:
APRENDA NO DESERTO, OU MORRERÁS NELE.

3. Deus estava presente, mesmo no deserto (vs. 21 e 22).
O Senhor estava com eles. Mesmo lá no deserto, Deus estava junto deles para guiá-los e protegê-los. Deus os enviou para o deserto, mas não os abandonou nem os desamparou (Is. 42:16).
Aprendemos que não importa a situação ou o problema que Deus permitiu que viesse a nossa vida. Deus é Emanuel (Deus Conosco). Ele está contigo para lhe ajudar a entender os Seus caminhos e passar pelas dificuldades da vida.  Deus usando o salmista bem esclarece isso:
"Ainda que eu ande pelo vale da sombra e da morte, não temerei mal nenhum, porque Tu estás comigo, a Tua vara e o Teu cajado me consolam..." (Salmo 23:4)

É por isso que afirmo com convicção:
DEUS ESTÁ CONOSCO, MESMO NOS DESERTOS DE NOSSA VIDA.

Por isso, preste atenção ao que Deus lhe fala e mostra. Ele é um Deus presente.

3. Deus levou-os para uma situação que exigia Fé (14: 1,2)
O próprio Deus os colocou em uma situação que exigia uma posição e decisão rápida diante do problema. A situação exigia um posicionamento.
Observe a problemática: O mar a frente e impossível de atravessar a nado e não possuíam embarcações para tal procedimento. Atrás, o deserto de onde vieram, mas agora com o poderoso exército egípcio vindo em sua direção para matá-los. Não tinham como reagir ao ataque, não eram soldados, não tinham armas para uma defesa convincente. Haviam mulheres, crianças, idosos, etc... Milhões de pessoas que estavam geograficamente presas como se fossem guiados para um local sem escapatória.
Não havia saída, não tinham como escapar. Era o fim. Seria um massacre.
E o que é mais surpreendente: Deus os fez ir e estar naquele lugar específico. Ali muitos murmuraram e se arrependeram de seguir as orientações de Deus ditas por Moisés. Não conseguiram enxergar pelos olhos da fé.
Ainda hoje, Deus permite que passemos por situações semelhantes, ou seja, que exigem um posicionamento de fé de nossa parte. Um posicionamento cristão.
Assim como os companheiros de Daniel (Dan. 3: 16,18) devemos acreditar em Deus e nos submeter a Sua vontade. Deus requer de cada um de nós uma postura de Fé e confiança plena Nele.

Por isso devemos declarar:
- QUANDO EU FOR POSTO A PROVA, DEVO TER UMA POSTURA DE FÉ EM DEUS.

Moisés entendeu e aprendeu isso (vs. 13,14) e Deus honrou a sua fé e livrou o povo daquela situação que tudo levava a crer que seriam dizimados (26-31).


Conclusão

Como vimos, muitas vezes é o próprio Deus que possibilita passarmos por situações difíceis em nossa vida.
Como já afirmei, nem sempre é o diabo, nem sempre somos nós. Por vezes é o próprio Deus. 
Tenhamos discernimento para entender isso e vivermos com sabedoria, aprendendo e crescendo em graça e conhecimento de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo.

Pr. Magdiel G Anselmo.





3 comentários:

  1. Que Deus abençoe seu blog e te faça instrumento dEle!

    Estou seguindo :) Paz do Senhor!

    ResponderExcluir
  2. Muito bom, pastor! Me fez lembrar do antigo hino:

    Deus tem um plano para cada criatura
    Aos Astros Ele dá o céu
    A cada rio, Ele dá um leito
    E um caminho para mim traçou

    A minha vida eu entrego a Deus,
    Pois o Seu Filho entregou por mim
    Não me importa onde for, seguirei meu Senhor
    Sobre Terra ou mar, onde Deus mandar, IREI

    Deus enumera a cada grão de areia
    As ondas ouvem Seu mandar
    Até o vento lhe obedece
    Seu carinho faz abrir a flor

    Em seu querer eu encontro paz na vida
    E bênçãos que jamais gozei
    Embora venham lutas e tristezas
    Tenho fé que Deus me guiará

    Graça e Paz!

    ResponderExcluir
  3. Glória A Deus, o texto me ajudou bastante e tirou muitas dúvidas.

    ResponderExcluir

Faça seus comentários. Sua opinião é importante. Participe.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...