quinta-feira, 23 de junho de 2011

Crise de Caráter

A crise de caráter atinge todas as profissões e vocações. Infelizmente, o ministério pastoral (que não é uma uma profissão, mas uma chamada, uma vocação), não é exceção a essa regra. No dia do juízo, o padrão de medida do caráter será exigido para esse ministério de forma especial. Tendo pregado, ensinado e supostamente modelado o caráter cristão minuciosamente explicado na inspirada e inerrante Palavra de Deus, no qual o ministério pastoral foi baseado, tais ministros serão julgados por Ela.
Sendo assim, toda leitura ou audição das Escrituras deveria ser uma oportunidade para um exame profundo de nosso caráter. Como estamos? Estamos nos desenvolvendo? Estamos crescendo como cristãos? O caráter de Cristo é visível em nós?
A atenção ao texto seguinte é importante: "Meus irmãos, muitos de vós não sejam mestres, sabendo que receberemos mais duro juízo" (Tg. 3:1).
A Bíblia é extremamente prática quando descreve o caráter ideal do crente semelhante a Cristo. A conversão é apenas o começo de um processo de formação desse caráter que dura a vida inteira.
O Salmo 15 é um dos trechos bíblicos que revelam como deve ser o caráter de um cristão de forma prática e principalmente de quem foi chamado para apascentar as ovelhas do Senhor. Vale então observar algumas dessas características fundamentais que comento a seguir:

1. Fale a verdade vinda do coração
Esse ponto é revelado no vs. 2 do Salmo 15.
Não definimos a pessoa de caráter como aquela que simplesmente guarda os Dez Mandamentos, que não mata, não furta ou não comete adultério. Essas obrigações morais são presumidas. Em vez disso, o caráter envolve integridade, franqueza e veracidade absoluta nas relações com todas as pessoas.
"Falar de coração" (proveniente), é uma expressão idiomática da língua hebraica para denotar "pensar", ou seja, discernir e analisar antes de falar. O caráter cristão começa com honestidade e franqueza diante de Deus.
Quando Natanael encontrou Jesus, as primeiras palavras que ouviu do Mestre foram: "Eis aqui um verdadeiro israelita, em quem não há dolo." (João 1:47). Jesus, que sobrenaturalmente discernia o caráter, reconheceu que Natanael já era homem sem astúcia, presunção, engano, hipocrisia... Sua língua e mãos estavam em perfeita unidade com o seu coração.
Portanto, nossas relações humanas não devem se limitar em cumprir as regras e nos omititr diante do erro e da corrupção do pecado. Claro que iremos errar em algum ponto em tratar com as pessoas, não somos perfeitos. Mas, se há uma intenção sincera e o desejo de em cada momento obedecer e agradar a Deus, também existirá o desejo sincero de edificar e abençoar os outros com a verdade.
Numa sociedade que acredita em pluralismo e relativismo como a que vivemos, a definição objetiva e absoluta de verdade não é propriamente aceita. Essa filosofia contemporânea equivocada enfatiza a natureza subjetiva da verdade, ou seja, é algo pessoal que varia de indivíduo para indivíduo. Contudo, a verdade bíblica é absoluta e objetiva para todos.
Sendo assim, os cristãos não devem ser inclinados a uma atitude subjetiva em relação à verdade. Temos de nos agarrar à verdade objetiva e absoluta, a despeito da atual maré cultural e política de nosso país.
Vale ressaltar, temos que fazêr isso com amor (Ef. 4:15) que também significa e se expressa por "falar a verdade".
"Antes, seguindo a verdade em amor, cresçamos em tudo naquele que é a cabeça, Cristo." (Efésios 4: 14,15)

2. Não calunie nem faça Fofoca
Salmo 15 vs. 3.
A pessoa de caráter cristão nunca fala mal de quem quer que seja. Os erros e faltas percebidas nos outros não deverão ser tópicos escolhidos para conversação. Tal pessoa procurará contestar uma história ou "estória" negativa sobre outro crente. Se isso não for possível, a conversa não segue adiante.
A pessoa que tem caráter cristão não divulga um relato negativo, um fracasso, mesmo que seja verdadeiro. Aqui vale citar uma frase de meu pai, pr. Moysés Anselmo: "...derrotas e fracassos não devem ser propagados. Propague sucessos e vitórias."
Se a pessoa de caráter não espalha informações negativas, alguém poderá dizer: "- Então temos que tolerar o pecado no Corpo de Cristo?"
Obviamente que não. Mas há um princípio bíblico no lidar com tais problemas sem precisar fazer "fofocas" a ouvidos sempre ansiosos. Uma leitura atenta de Mateus 18: 15-17 muito ensinará sobre o tratamento cristão com relação ao pecado e a ofensa entre crentes ou mesmo contra o Corpo de Cristo de uma forma geral. Aprendemos nesse texto que os problemas no Corpo de Cristo (Igreja) são resolvidos mais adequadamente  quando a situação é tratada pelo menor número possível de pessoas, e não caprichosamente falada ou "fofocada".
Lamentavelmente, vemos o inverso da prática desse princípio, corriqueiramente pela internet. A exposição de forma pejorativa e irresponsável de pessoas e ministérios são constantemente vistas, sem que ao menos tenham sido confirmadas as informações ou como ensina a Palavra de Deus (Mateus 18), a pessoa alvo dessas informações seja contactada pelos que "espalham" más notícias e possa explicar o ocorrido ou o que está supostamente "ofendendo" o Corpo de Cristo (Igreja).
A pessoa de caráter cristão não só guarda a língua, mas também as línguas dos outros, a fim de evitar a propagação de calúnias, difamações, injúrias ou infâmias ou simplesmente de fracassos de seus irmãos em Cristo que certamente farão mal, prejudicará ao próximo, como adverte o salmista para não fazermos.

É tudo uma questão de caráter cristão.

3. Odeie o Mal e Honre a Retidão
Salmo 15 vs. 4.
A Escritura ensina os crentes a amar as pessoas não importa o quanto ameaçadoras possam ser. Mas o mal que tais pessoas perpetram ao violar as leis de Deus é objeto apropriado do nosso ódio. Não só é objeto adequado do nosso ódio, como também somos ordenados a odiar o mal (Salmo 97:10; Amós 5:15).
Por essa razão, nós que vivemos em uma sociedade pós-moderna enfrentamos conflitos quando os líderes governamentais e políticos apoiam ou lançam legislação e ações executivas em antagonismo direto aos ensinamentos bíblicos. Nessas situações e ocasiões, prontamente devemos nos identificar com Atos 5: 29: "Mais importa obedecer a Deus do que aos homens". A admoestação para obedermos às autoridades seculares é clara nas Escrituras (Romanos 13:1), porém quando essas autoridades, através de decretos ou leis restringem a pregação do Evangelho ou dão legitimidade ao pecado, temos de obedecer a Deus, autoridade máxima, da qual todas as outras devem se submeter e quando isso não ocorre estamos desobrigados de obedecê-las.
Isso ocorre atualmente com relação a legislação que está sendo imposta aos brasileiros na questão do homossexualismo (união gay, PL 122, etc). Não podemos e não devemos nos submeter e aceitar a prática do homossexualismo seja em qual forma e pretexto for em detrimento da orientação clara  da Palavra de Deus com relação a esse prática pecaminosa. Todas as vezes que precisarmos nos posicionar contra tal desatino e expressar nosso repúdio a leis e imposições governamentais devemos assim fazê-lo mesmo que com isso tenhamos, a princípio, dano próprio.

4. Mantenha suas promessas (sua palavra) com Honestidade e Integridade.
Salmo 15 vs. 4.
A instrução d.e Paulo aos colossenses parece direta: "Não mintais uns aos outros, pois que já vos despistes do velho homem com os seus feitos e vos vestistes do novo." (Colos. 3: 9,10).
Mas a natureza humana encontra outros meios de dissimular a verdade para não obedecer essa declaração direta. As pessoas, às vezes, falam a verdade com os lábios, mas com significado diferente no coração.
Porém, a ênfase das Escrituras é clara. Sob quaisquer circunstâncias, nunca é certo planejar mentir. Se gastássemos mais tempo resistindo à tentação de nos servir de "mentirinhas" e de etiqueta para nos livrar de situações incômodas, seríamos homens e mulheres de verdadeiro caráter cristão.
O caráter cristão requer integridade moral. A palavra de um crente e muito mais de um ministro deve ser sempre "sim, sim, não, não." O que prometer deve cumprir ao custo da própria vida.
O que significa isso na prática? Veja alguns exemplos bem objetivos de quebra de promessa: a) Infidelidade aos votos matrimoniais. b) Deixar contas a pagar c) Não devolver o que pegou emprestado d) Não cumprir horários e compromissos firmados. Etc...
A promessa de um ministro, expressa ou implícita, deve ser tão verdadeira quanto um contrato assinado. O seu caráter está em jogo!

5. Maneje e administre o que tem com integridade
Examinando o contexto histórico/cultural em que o texto está inserido, verifica-se que a preocupação nos tempos bíblicos dizia respeito ao encargo da usura ou juros sobre empréstimos feitos aos pobres, os quais não dispunham de recursos financeiros para prover as necessidades básicas. Hoje, pode-se aplicar esse ensino na equivalência pela busca e mau uso do dinheiro por parte de pastores e líderes. Mais índoles e reputações ministeriais têm sido destruídas pelo mau emprego do dinheiro e possessões ministeriais do que praticamente por qualquer outra tentação.
O dever dos líderes espirituais prestarem contas financeiras é algo extremamente desejável, a fim de evitar especulações desnecessárias sobre quanto e no que são utilizados os recursos eclesiásticos. Além disso, a forma como administram o dinheiro que recebem como remuneração, ajuda ou prebenda também deve ser coerente com os princípios de mordomia cristã revelados nas Escrituras.
Por fim, a liderança espiritual sempre deve se guardar da ganância de acumular possessões terrestres, as quais entorpecem o impacto do ministério do servo de Deus, além de trazer inúmeras tentações e seduções.

Considerações Finais
O caráter não acontece por acaso. A experiência de conversão não produz sozinha um caráter cristão completamente desenvolvido naquele que se converte. Embora seja nova criatura em Cristo, o convertido ainda deve crescer "na graça e no conhecimento de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo" (2 Pedro 3:18).
Mas, o do desenvolvimento desse caráter pode ser visto pela manifestação do Fruto do Espírito. A vida que exibe constantemente as facetas desse Fruto falará a verdade vinda do coração, não divulgará calúnias nem fará "fofocas", não prejudicará o próximo, odiará o mal e honrará a retidão, manterá as promessas e manejará suas possessões materiais com integridade.
Finalmente colega ministro, nossa leitura da Bíblia não deve ocorrer apenas quando preparamos sermões ou fazemos estudos bíblicos, mas deve haver a leitura devocional diária da Palavra tão somente para o nosso próprio fortalecimento e edificação espirituais. Além de tudo, para o desenvolvimento de nosso caráter cristão. 
Que caminhemos sempre nesse sentido.

Pr. Magdiel G Anselmo.





7 comentários:

  1. Muito boa aplicação do Salmo 15, versando sobre a ética prática. Mais do que nunca, é imprescindível que o caráter dos crentes sejam trabalhados pelo Espírito Santo com base nas Escrituras, a fim de que em suas vidas sejam notórias a beleza de Cristo, com toda sua admirável pureza e amor. Que a nossa oração e constante busca seja consoante o que diz o o antigo hino: "Ó Tu, Chama Divina; todo meu ser refina; Té que a beleza de Cristo se veja em mim".
    Graça e Paz!

    ResponderExcluir
  2. Como saber o tempo certo de Deus?

    Para entendermos o tempo certo de Deus,
    precisamos sentir a sua paz nas
    decisões que iremos tomar
    Aquela paz retratada em:
    Filipenses 4.7, que excede
    todo nosso entendimento.
    Esperar no tempo certo de Deus
    também significa renúncia e santificação.
    Quando nos entregamos totalmente ao Senhor,
    Ele passa a ser o dono exclusivo do nosso tempo.
    No Silêncio Deus trabalha,
    no Silêncio Deus molda nosso caráter.
    Espere pacientemente no SENHOR
    Que a Glória de Deus Repouse sobre ti...

    Missionário Sergio Christino

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sem dúvida Missionário Sergio Christino. Deus sempre trabalha em prol de nosso crescimento. Obrigado pelos seus comentários e Deus o abençoe.

      Excluir
  3. concordo com o irmão o tempo de DEUS, a confiança vem como um testemunho interior, a fé manifesta através do descanço,enfrentando adversidade; mas com a certeza da vitória.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amém. Obrigado pelos comentários. Deus o abençoe jesusmudou.

      Excluir
  4. A leitura diária da Bíblia e´fundamental e necessária para o cristão,
    seja ele novo convertido ou ministrador da Palavra.

    só através dessa leitura,individualmente (conheço cristãos que só lêem a Bíblia na hora da pregação!),meditação e oração para que sejamos direcionados pelo Espírito SanTo,poderemos nos convertermos de modo real.
    Isto vale para ministros.
    Sei de ministros que fazem uma maravilhosa pregação,mas sua vida pessoal não se norteia por ela!


    "O caráter não acontece por acaso. A experiência de conversão não produz sozinha um caráter cristão completamente desenvolvido naquele que se converte. Embora seja nova criatura em Cristo, o convertido ainda deve crescer "na graça e no conhecimento de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo" (2 Pedro 3:18)"

    Parabéns!
    Pra ler e meditar muito nesse contexto!
    Suely
    http://sbertoncini.zip.net
    mensagens bíblicas a cada dia!

    ResponderExcluir
  5. Tem toda razão irmã Suely. A Palavra de Deus tem fundamental relevância na construção de um caráter cristão. Obrigado pelos seus pertinentes comentários. A Graça e Paz de Cristo seja convosco.

    ResponderExcluir

Faça seus comentários. Sua opinião é importante. Participe.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...