quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

Admite-se Educadores Cristãos - INÍCIO IMEDIATO

A vida no século XXI possui uma característica que já dava sinais de sua permanência desde o século anterior. As mudanças e variações são constantes em todas as áreas da existência humana. A necessidade de adaptação e contextualização tornaram-se habituais e a atualização e especialização são hoje prioritárias tanto academicamente como profissionalmente.
Vivemos em um mundo que muda a cada instante. Os avanços em diversas áreas melhoraram a qualidade de vida das pessoas e aumentaram os níveis de conhecimento e de comunicação entre elas.
Por isso, quem ficar parado, estagnado ao que já sabe ou ao que já alcançou acaba por ser "engolido" pela onda das novas metodologias e tecnologias e da própria nova forma de viver.
A necessidade de qualificação, aperfeiçoamento, treinamento e atualização constantes são princípios basilares da vida nesse novo século e nós como cristãos que nele vivemos precisamos entender isso e não negligenciarmos essas mudanças e todo o contexto que as envolvem.
Estas constatações também são fatos no universo evangélico em nosso país. Observamos que causaram e ainda causam uma crescente migração de pessoas que advem de denominações, grupos e movimentos pseudo-cristãos, na maioria das vezes, decepcionados, feridos e doutrinados em "evangelhos" estranhos ao Evangelho de Cristo, como é o caso do evangelho da prosperidade ou triunfalista tão disseminado pelos grupos neopentecostais e seitas das "novas unções". Faz-se urgente a necessidade de termos em nossas igrejas pessoas vocacionadas, preparadas e qualificadas para o ensino e discipulado cristãos.
A Educação Cristã precisa aceitar o desafio de atualizar seu processo de comunicação e toda sua metodologia, sem contudo alterar ou prejudicar o conteúdo e sua essência. Em 1999 num relatório realizado pela Comissão Internacional sobre Educação para o século XXI sob a coordenação de Jacques Delors e entregue a UNESCO,  entendeu-se que a boa educação é firmada em quatro preceitos ou pilares fundamentais:

 Aprender para conhecer, aprender para conviver, aprender para fazer e aprender para ser.
Estes pilares são aplicáveis e diria, prioritários também na Educação Cristã. Adaptando-os ao contexto cristão, podemos assim interpretá-las:
Aprender para conhecer Jesus (Evangelismo e Discipulado Cristão);
Aprender para conviver com Deus e meus irmãos (Comunhão e Integração Cristãs);
Aprender para fazer (Serviço e Mordomia Cristãs);
Aprender para ser o que Deus quer que eu seja (Ensino Cristão Sistemático, Edificação e Maturidade).
Como já mencionei, o crescente avanço do número de "igrejas" de todos os tipos e com motivações de toda ordem, e com escalas de prioridades totalmente equivocadas, formou uma multidão de "crentes" sem educação e discipulados verdadeiramente cristãos.
Mesmo com a persistência das igrejas tradicionais e pentecostais históricas em manter em sua rotina programas e atividades de ensino, muitos tem desanimado nessa árdua tarefa, pois raros são aqueles que se atualizam e se contextualizam em seus métodos e práticas no ensinar. Muitos possuem vontade, desejo e até vocação para isso, mas não possuem preparo e treinamento adequados e tão importantes nesses dias.
As Escolas Bíblicas estão sendo atacadas e minimizadas, mas ainda continuam sendo a melhor forma de educar e discipular pessoas e famílias inteiras na igreja.
As consequências do menosprezo com a Educação Cristã vê-se claramente na qualidade das letras dos cânticos atuais, nas pregações sem fundamento bíblico/teológico e apoiadas em filosofias de auto-ajuda e em técnicas psicológicas de manipulação e ainda pela total ausência de métodos de ensino, didática e princípios básicos de pedagogia por parte daqueles que exercem ministérios de ensino em nossas igrejas.
Por isso, o aperfeiçoamento e contextualização são medidas emergenciais a serem tomadas em nossas igrejas. Elas precisam se estruturar para atender a demanda cada vez maior e precisam ter pessoas qualificadas espiritualmente e academicamente para conseguir responder as frequentes buscas e necessidades do povo do século XXI, sem contudo perder sua característica e missão de ensinar fielmente a Palavra de Deus.
As nossas lideranças precisam dar prioridade ao preparo de novos educadores cristãos e atualizar os que já se encontram na frente de batalha.
A Igreja cristã precisa olhar para suas fileiras e ter a sensibilidade de enxergar vidas sedentas em aprender e proporcionar a elas alimento saudável e bem preparado.
Se não cuidarmos da Educação Cristã hoje, teremos no futuro uma igreja repleta de crentes anêmicos, raquíticos espiritualmente e que não suportarão as responsabilidades que Deus impôs a Sua Igreja ( Ide, Ensinai, Batizai, Pregai, Fazei discípulos, Crescei...)
 
Algumas sugestões, ouso fazer, a meus irmãos que de alguma forma exercem liderança cristã:
 
a) Invista em sua capacitação e formação acadêmica. Se atualize, leia muito e leia bons livros da área, faça cursos... (Deus usará seu conhecimento para abençoar outros, além de ser um bom exemplo ao rebanho)
 
b) Fortaleça as Escolas Bíblicas com estruturas novas e pessoas qualificadas (boa administração + planejamento + vocacão espiritual + preparação adequada são poderosas ferramentas no ensino da Palavra de Deus)
 
c) Não negligencie a Educação Cristã em prol de outras atividades como: eventos, festas ou por não ser tão agradável ao povo (seu compromisso é com o bom alimento e não com as "guloseimas espirituais", que vez por outra podem até ser servidas, mas nunca substitua o alimento por elas)
 
d) Não entre na "onda  neopentecostal" da ansiedade por encher templos (lembre-se o Evangelho de Cristo não é pra agradar, na grande maioria das vezes Ele incomoda!)
 
e) Não consagre, ordene ou motive a acontecer consagrações ou ordenações de novos ministros porque são "seus amigos", ou porque fortalecerão suas bases "políticas denominacionais", ou ainda porque são "crentes fiéis" ou vão lhe ajudar de alguma forma a "manter seu poder ou privilégios". (Somente encaminhe ao ministério pastoral ou de ensino homens e mulheres crentes em Cristo que possuírem vocação (chamada), capacitação (dons espirituais), formação educacional e teológica (capacitação acadêmica e treinamento específico) e vida (testemunho) cristã adequados para ensinarem a Palavra de Deus).
 
f) Faça dessas sugestões algo natural na igreja que congrega ou pastoreia (esses são bons costumes que trarão bons frutos no futuro próximo).
 
 
Cuidemos hoje, para que amanhã não lamentemos.
 
Pr. Magdiel G Anselmo.
 
 

2 comentários:

  1. A paz abençoado, quase pensei que fosse uma oferta de emprego rsrs, muito bom o texto, vou me lembrar sempre disso.

    Marcos Andre - Professor
    CLUBE DA TEOLOGIA
    http://marcosandreclubdateologia.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Dia desses fui a uma livraria evangélica para adquirir revistas de Escola Dominical para a Igreja que pastoreio. Minha intenção era estudar toda a Bíblia, livro por livro. Havíamos estudado no trimestre anterior o livro de Gênesis; assim, estava a procura de uma revista que abordasse o próximo livro, o Êxodo.
    Para minha triste surpresa, não só fui frustrado em minhas intenções - não havia uma revista que abordasse o tema - mas fiquei abismado com a baixíssima qualidade do material à venda. Uma enxurrada de revistas que abordavam teologia da prosperidade, confissão positiva, dominionismo, auto-ajuda, e coisas do tipo. Que tristeza!
    Que o Senhor possa ter misericórdia de nós! Quem ensinará às próximas gerações os valores do Reino de Deus? Os princípios bíblicos? A tradição da Igreja?
    Parabéns pela postagem, querido pastor!
    Graça e Paz!

    ResponderExcluir

Faça seus comentários. Sua opinião é importante. Participe.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...