segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Servindo o Pão de Deus

A Palavra de Deus nos revela que todos aqueles que foram alvos da tão grande salvação arquitetada pelo Senhor possuem o privilégio de comer do pão de Deus, ou seja, de ter uma vida de "filho", de participar da mesa do seu Senhor e ter a honra da presença do seu Deus em sua vida diária. São promessas feitas àqueles que foram adotados como filhos e respaldados e justificados pela obra de Cristo na cruz do Calvário, passaram a ser sustentados e fortalecidos por amor e misericórdia em suas necessidades pelo Pai das Luzes.
Desta forma, desfrutam de uma vida de salvo por Cristo. Se fartam desse pão em todas as área da vida. O pão está a disposição. O alimento necessário para a perfeita sáude dos filhos está preparado e pronto para ser consumido. Todos os filhos podem se alimentar de tal forma que adquiram forças e condições para prosseguir firmemente em sua caminha cristã. 
Porém, a alguns foi dado e acrescentado por Deus um privilégio e uma responsabilidade. Além de se alimentarem do pão de Deus devem servi-lo a seus irmãos de mesma fé,  filhos e servos do mesmo Deus e ainda oferece-los a aqueles que nunca o provaram e podem a partir disso serem transformados por Deus também em irmãos como o são os outros.
Porém, muitos desses se abstém de sua responsabilidade e apenas comem do pão e não o oferecem a outros. Alguns trocam e oferecem esse pão por um outro com uma falsa aparência de mais agradável e que chama mais a atenção, porém são pães sem o contéudo necessário para uma boa e saudável alimentação. Outros o servem de qualquer jeito, sem o cuidado de explicar qual o procedimento necessário para se obter uma saúde perfeita. Não entendem que mesmo o melhor remédio se não for prescrito e utilizado da forma correta pode tornar-se em um veneno para o organismo. E ainda há aqueles que não deveriam estar servindo porque não foram chamados para isso, mas o fazem e contribuem para o surgimento e crescimento de grande parte dos problemas ocorridos com o povo de Deus.
É por isso e pensando nisto que a análise, interpretação e aplicação correta e honesta do texto bíblico de Levítico 21: 17-23 são relevantes para todos os que são responsabilizados por Deus de não somente se alimentarem do pão de Deus mas também de servi-lo e oferece-lo a outros.
A boa exegese e hermenêutica nos ensinam que mesmo quando existe um fato ocorrido em outra época, ou em uma forma diferente de cultura ou em um outro contexto de vida, os princípios indicados e revelados por Deus naquela situação devem ser aplicados em situações e ocasiões semelhantes àquelas em outras épocas, ou seja, os princípios ali estabelecidos por Deus para os sacerdotes da época são aplicáveis aos líderes e homens e mulheres que ministram a Palavra de Deus nos tempos da Igreja Cristã atual.
Portanto, levando em conta estes princípios, descobrimos algumas exigências e virtudes reveladas por Deus a quem deve servir e oferecer o pão de Deus. Veja com atenção a aplicação clara e objetiva destes princípios:

1. Não pode ser cego (v. 18)
Isso significa que um líder cristão deve ter visão de fé. A fé vê o invisível. Enxerga além dos outros. O líder que possui essa virtude vê além dos problemas, das dificuldades e dos obstáculos. Ele, tal qual Josué e Calebe, sabe da existência dos gigantes, mas isso não o atemoriza. Ele enxerga uma terra que mana leite e mel. Ele sabe e crê que Deus tem o melhor para Seu povo e por isso prossegue com fé e confiança. Ele enxerga sempre em meio às dificuldades, uma oportunidade de crescer e de fazer crescer o povo a quem serve o pão de Deus, a quem ministra a Palavra do Senhor.

2. Não pode ter belida nos olhos. (v. 20)
Belida nos olhos significa uma névoa esbranquiçada sobre a córnea, que compromete a visão. Vêmos então que não basta apenas ver. É preciso ver com clareza. É preciso enxergar bem. É preciso ter visão clara e correta das coisas de Deus, das pessoas, família, circunstâncias, etc... Não pode ter uma visão restrita, pequena e sem alcance. Muitas vezes é necessário alargar as fronteiras, as estacas, expandir a visão.

3. Não pode ser paralítico ou coxo (v. 18)
Aquele que serve o pão de Deus precisa andar. Isso quer dizer não acomodar-se. Deus nos quer andando, prosseguindo, indo...
O líder cristão não deve se acomodar. Tem que se mexer. Deve sempre trabalhar para alcançar mais de Deus para si e para aqueles que serve. Não é hora para descansar, é hora para trabalhar.

4. Não pode ter o rosto mutilado (v. 18)
A versão inglesa traz "nariz amassado". Outras "rosto desfigurado". Isso refere-se a pessoa aborrecida, iracunda, irritadiça. No popular o famoso "chato".
O líder cristão deve ser simpático, alegre, amável, dócil, educado e acima de tudo equilibrado e moderado em suas atitudes e no seu falar.
Ninguém suporta um chato. Ninguém suporta alguém que somente critica e nunca mostra soluções. Ninguém suporta alguém que nunca está satisfeito com nada. Que sempre "pensa" estar com a razão e que "jamais" erra.
Líder cristão não é sinônimo de "cara feia".
Sorria, Jesus te ama!

5. Não pode ser desproporcionado. (v. 18)
Deus valoriza o equilíbrio. Faz parte da obra do Espírito Santo em nossa vida.
Não podemos ser desproporcionados, ou seja, desenvolver mais um aspecto ou área da vida do que a outra. 
Alguns exemplos bem objetivos e diria com certa dose de bom humor, segue levando em consideração a divisão do corpo em cabeça, pernas e braços:
O líder cabeção: Muita informação e pouca prática. Cresceu somente a cabeça.
O líder pernalonga: Faz muita coisa, é ativista mas possui pouco conhecimento ou conteúdo. Cresceu somente as pernas.
O líder poste: Só faz aquilo que está ao alcance de suas mãos. Não sai do lugar. Não anda. Cresceu somente os braços.
Você pode criar outros. É só prestar atenção que encontrará vários outros exemplos.

6. Não pode ter o pé quebrado (v. 19)
Isso nos lembra pessoas que usam muletas e que não conseguem andar no ritmo dos outros. tem que ser muitas vezes carregadas. Um líder não pode ser assim.
Ele deve muitas vezes carregar outros e se estiver com o pe quebrado como fará isso?
Se, por alguma razão, ficou com o pé quebrado, deve primeiro curar-se para depois voltar a servir o pão de Deus a seus irmãos. Naquele momento deve ser servido por algum outro líder que se encontra em condições plenas para exercer esse trabalho.

7. Não pode ter a mão quebrada (v. 19)
É preciso ter disposição para ajudar aos outros. Estender a mão para os outros.
Isso faz parte relevante da função de servir. Com a mão quebrada isso não será possível.
Da mesma forma daquele que tem o pé quebrado, esse também deve primeiro buscar a cura para sua enfermidade e depois retomar seu trabalho de servir.

8. Não pode ser corcunda (v. 20)
Uma pessoa corcunda geralmente anda "olhando para o pé". É comum estar inclinada para o chão. Ela não consegue ficar em outra posição.
Relacionando com nosso assunto, tem a ver com pessoas que possuem uma visão sempre pessimista e calamitosa sobre todas as coisas. Pessoas que só enxergam as desgraças e os problemas. Propagam inclusive somente isso.
Diria que podem ser chamados de líderes urubulinos. Só enxergam a carniça, a podridão. Só vêem o lado ruim, nunca o lado bom das situações e das pessoas.
Um líder cristão não pode ser assim. De forma alguma pode ser assim.

9. Não pode ser anão. (v. 20)
Crescer é atributo dos seres vivos. quem está vivo espiritualmente precisa crescer (Hebreus 5: 12-14).
O líder cristão não pode ainda ser criança espiritualmente falando. Deve já ter crescido e continuar a crescer. A busca por esse crescimento deve pautar esse líder. Desta forma ele poderá servir a seus irmãos o pão de Deus em suas várias formas, desde o leite para as crianças até o alimento sólido para os adultos.
Crescer na graça e no conhecimento de Cristo deve ser sua frase de ordem.

10. Não pode ter sarna. (v. 20)
A sarna é uma enfermidade terrível. Ela incomoda e contamina.
Como identificar o sarnento? Ele vive se coçando.
Está o tempo todo incomodado. E pior, o seu mal é contagioso. Quando está triste, inconformado ou revoltado com alguma coisa ou alguém, tenta contaminar outros com suas frustrações e decepções.  Há nele uma raiz de amargura que deve ser tratada.
Quem serve o pão de Deus não pode ser um sarnento, ao contrário deve combater esse mal. 

11. Não pode ter impigens ( v. 20)
O sacerdote não podia ter manchas ou feridas na pele. Quem deve servir o pão de Deus não pode ser uma pessoa cheia de feridas, mágoas ou rancores guardados. Não pode ser do tipo que fica remoendo o passado e sofrendo com o que já aconteceu e não pode ser mudado.
Quem serve o pão de Deus deve aplicar a sua vida Isaías 43:18 e viver agradecido no presente e na esperança do futuro glorioso com Cristo.

12. Não pode ser estéril (v. 20)
O texto diz "testículo quebrado". Faz menção aqueles que não podem se reproduzir, que não geram filhos.
A reprodução é característica dos seres vivos que atingiram certa maturidade física.
A reprodução espiritual é característica de quem atingiu certa maturidade espiritual.
O líder cristão deve gerar filhos espirituais. Deve haver a reprodução em seus ministérios.
Não pode ser estéril, sem filhos ou sem vida nascendo.
Deus espera que reproduzam, que seus filhos cresçam e também se reproduzam, que gerem também outrois filhos espirituais.

Concluindo, veja que esses princípios e orientações aos sacerdotes, aplicados aos nossos dias pautam a conduta e as exigências para aqueles que servem o pão de Deus.
Será que isso está sendo levado realmente em conta na Igreja?
Será que esses princípios estão sendo aplicados ou pelo menos observados?

Se você, meu irmão e amigo, foi chamado e ordenado por Deus a servir o pão Dele a seus irmãos, lhe convido a olhar com atenção esses princípios e avaliar se estão sendo observados em sua vida e ministério. E ainda, lhe sugiro ensinar e propaga-los aos novos candidatos ao ministério pastoral em nossos dias. Desta forma, fazendo com que também se auto-avaliem e descubram se foram realmente chamados para tal função ou se foram também privilegiados para outras tão relevantes e essenciais funções como essa.

Por fim, lhe convido, amigo leitor, a comer do pão de Deus.
Se ainda não provou deste pão, ainda há uma oportunidade para você.
Lhe convido a participar desta mesa e desta refeição que lhe trará o bom alimento e consequentemente a saúde plena para vossa alma.
Pra isso basta seguir os passos abaixo:

1. Reconheça que é pecador e está condenado ao inferno.
2. Arrependa-se de seus pecados
3. Confesse-os a Deus e peça o Seu perdão.
4. Reconheça que precisa de um salvador
4. Reconheça a Jesus Cristo como seu único e suficiente salvador
5. Passe a servi-lo e segui-lo de todo o coração

Lhe aconselho a ler o Evangelho de João. Nele encontrará todas as orientações para sua nova vida. E ainda, encontre uma igreja evangélica para congregar, ou seja para partilhar suas experiências, alegrias, tristezas, etc... com seus irmãos de mesma fé, além de continuar a ser ensinado a conduzir sua vida segundo os princípios e valores de Deus revelados na Bíblia.
Quem sabe, um dia,  não seja você também um destes que Deus chama para servir o bom alimento.



Deus os abençoe.

Pr. Magdiel G Anselmo. 
   



4 comentários:

  1. Entendi perfeitamente o que o irmão quis dizer mensagem, mas a interpretação alegórica pode prejudicar o entendimento do verdadeiro sentido da passagem bíblica.
    Um forte abraço.
    Rev. Agnaldo.
    www.creioeconfesso.com

    ResponderExcluir
  2. Graça e Paz,
    Querido irmão, não foi minha intenção alegorizar o texto. Procuro ter cuidado com isso e sou defensor ferrenho do método histórico-gramatical para a análise e interpretação do texto bíblico. Sei também que o texto está inserido no contexto das orientações e leis sacerdotais do AT.
    Apenas extrai do texto os princípios nele revelados (que se descobre analisando exegéticamente) e procurei explicar isso não ferindo contudo a exegese e a hermenêutica que não era minha intenção aprofundar aos leitores (mesmo a utilizando na elaboração de toda minha postagem). Com isso penso não ter desvirtuado o texto sagrado, muito menos dificultado a sua interpretação e o seu sentido a outros. Pelo menos não foi essa minha intenção. E vejo que consegui alcançar meu objetivo, pois o irmão disse que entendeu a mensagem que busquei comunicar.
    Penso que em toda a Escritura encontramos os princípios e valores de Deus para situações, circunstâncias e pessoas. E quando mesmo hoje nos encontramos em situações e circunstâncias semelhantes àquelas podemos aplicar esses princípios sem receios, claro que explicando o que estamos fazendo (como procurei explicar na postagem).
    O que fiz, repito, foi extrair os princípios que regeram as orientações e a lei sacerdotal e apliquei-as relacionando-as aos ministros da Nova Aliança (da Igreja). Não vejo nenhum equívoco nessa minha postura. Se observar verá que esses princípios estão expostos nas orientações de Paulo a Timóteo. O que ali muda são apenas as palavras e os termos usados pelo apóstolo, porém são os mesmos princípios já muito antes revelados no AT. As exigências de Deus são as mesmas para os sacerdotes do AT e para os ministros do NT. Havia já no AT o início destes ensinamentos aos sacerdortes de uma forma bem rígida e literal que se completou objetivamente com as orientações de Cristo e das cartas pastorais no NT. Os tipos e sombras do AT são agora no NT consumados por Cristo e pela obra do Espírito Santo.
    Porém mesmo com toda essa minha explanação, penso que o irmão tem razão em sua advertência. Confesso que ao elaborar o texto para a postagem e mesmo sendo professor a algum tempo de Exegese e Hermenêutica Bíblica, não atentei para a interpretação que alguns leitores da postagem poderiam ter de forma equivocada com relação ao sentido original e para a época do texto mencionado. Talvez poderia eu ter gasto mais tempo explicando o sentido original pela análise e interpretação do texto segundo os critérios histórico, cultural, social e gramatical e depois então passar para a aplicação aos nossos dias que realmente era o que eu pretendia. É que eu não pretendia escrever um texto extremamente técnico mas acessível a todos os leitores. Mas, creio que talvez tenha que repensar essa premissa.
    Procurarei ter mais cuidado nos próximos textos.
    Agradeço seu alerta humilde e sinceramente.
    Obrigado por me abençoar.
    Forte abraço,
    Em Cristo,
    Pr. Magdiel G Anselmo.

    ResponderExcluir
  3. Rev. Agnaldo respondeu:

    Meu caro irmão
    Agradeço sua atenção. Não foi minha intenção criticá-lo. O texto do irmão é simples e compresnsível. Louvo a Deus pela sua facilidade em escrever. Tenho lido seus textos e sou profundamente grato a Deus pelas mensagens. Louvo a Deus também pela forma madura como o irmão recebeu a minha observação. Agradeço por tê-lo como amigo (ainda que virtualmente). Que Deus continue abençoando ricamente a sua vida.
    Em Cristo
    Rev. Agnaldo.
    www.creioeconfesso.com

    ResponderExcluir
  4. Pr. Magdiel:
    Meu pastor-presidente já pregou um sermão exatamente em cima do mesmo texto que o senhor usou, que muito edificou a todos.
    Sinceramente, algumas vezes fico com o forte sentimento de que criamos tantas regras sobre a Bíblia que acabamos tornando-a estéril, sem vida. Uma teologia desprovida da Bíblia, que a regula dizendo o que ela deve e o que ela não deve falar. Ao contrário, creio que toda teologia que é verdadeiramente útil para a fé cristã se submete à Palavra de Deus.
    Sou favorável a uma boa exegese, feita corretamente; mas sou totalmente contrário a tornar "letra morta" aquilo que é Espírito e Vida.
    Excelente postagem! Que Deus o inspire a muitas outras!
    Graça e Paz!

    ResponderExcluir

Faça seus comentários. Sua opinião é importante. Participe.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...